Caracterização química de vegetal holocênico mineralizado procedente de Camocim, Ceará

Palavras-chave: Eolianitos, Zona costeira, Vegetais, Ceará, Holoceno

Resumo

Este estudo teve como foco a análise e a identificação da composição química de restos vegetais mineralizados por soterramento, presentes em eolianitos, oriundos da zona litorânea de Camocim, a fim de determinar de maneira qualitativa e quantitativa a identidade mineral na qual esses materiais foram preservados. As análises foram feitas a partir da técnica de espectometria por dispersão de energia de raios X em microscópio eletrônico, sendo considerado um método qualitativo e semiquantitativo para a identificação elemental de materiais. Cinco amostras foram preparadas de acordo com as normas de utilização da Central Analítica do curso de Física da Universidade Federal do Ceará, onde as análises foram realizadas; as amostras foram fragmentadas ao máximo de 1 cm e, em seguida, metalizadas com ouro, posteriormente observadas em microscópio eletrônico varredura modelo Inspect S50, da marca FEI, que conta com um espectrômetro por energia dispersiva de raios X. Os resultados mostraram que as cinco amostras não apresentaram variações significativas entre suas composições químicas, sendo essencialmente formadas por carbonato de cálcio (CaCO3), que constitui mais de 90% da composição de cada uma, proveniente dos bioclastos marinhos abundantes no conteúdo sedimentar da zona costeira de Camocim. Elementos traço como magnésio, silício, alumínio, ferro e cloro também foram identificados. A presença desses elementos pode estar relacionada à diversa origem diagenética composicional dos sedimentos depositados no litoral da região. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-06
Como Citar
Xavier, S. A., Viana, M., & Souza, E. (2018). Caracterização química de vegetal holocênico mineralizado procedente de Camocim, Ceará. Geologia USP. Série Científica, 18(4), 3-9. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v18-142477
Seção
Artigos