Mecanismo de colocação e auréola termal provocada pelo plúton Ediacarano Catingueira, Província Borborema, Nordeste do Brasil

Palavras-chave: Granito Catingueira, Ediacarano, Metamorfismo de contato, Zona Transversal, NE do Brasil.

Resumo

O plúton Catingueira, com área de aproximadamente 12 km2, é um granito peralcalino Ediacarano situado entre o Terreno Piancó-Alto Brígida e a Zona de Cisalhamento Patos, Província Borborema (NE Brasil). A intrusão formou uma auréola metamórfica em rochas metapelíticas da Formação Santana dos Garrotes. O presente trabalho trata da caracterização desse efeito termal, usando relações de campo, petrografia, química mineral e propriedades petrofísicas (condutividade térmica, calor específico, difusividade térmica e densidade). Utilizando-se o geotermômetro de zircônio em rochas peralcalinas, calculou-se o valor médio de 760 ± 18ºC para a temperatura inicial do magma. A colocação do plúton é marcada por: verticalização de estruturas de baixo ângulo da encaixante metassedimentar, as quais adquirem direção próxima de E-W, concordante com milonitos da Zona de Cisalhamento Patos; metamorfismo de alta temperatura (450–610ºC) e baixa pressão (3 kbar) cujo efeito é sentido a até 2,5 km do contato, com desenvolvimento da associação biotita ± granada ± estaurolita ± cordierita± sillimanita (+ clorita + muscovita). A modelagem numérica do regime térmico provocado pela intrusão foi feita por meio do software HEAT3D. As simulações foram calculadas a partir de duas formas geométricas, um cilindro vertical e um paralelepípedo horizontal, usando gradientes geotérmicos variando de 30 a 50ºC/km. Para atingir o equilíbrio térmico, foram calculados tempos de resfriamento de 781, 1.032 e 1.127 mil anos. O gradiente que permitiu atingir o melhor ajuste para o modelo foi de 50ºC/km, resultando 1.127 mil anos. Os resultados aqui obtidos em termos de dimensão, forma, profundidade e associações metamórficas são comparáveis a exemplos de outros corpos plutônicos descritos na Província Borborema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Alexandre Paixão da Cunha, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Mestrando no Programa de Pós-graduação em Geodinâmica e Geofísica pela UFRN, onde trabalha com o modelamento da aureola térmica (utilização de parâmetros petrofísicos, litogeoquímica, química mineral e petrologia) do Plutão Catingueira, NE do Brasil. Bacharel em geologia (2015), onde desenvolveu trabalhos com rochas carbonatíticas e ultramáficas associadas durante bolsas de iniciação científica e no trabalho de conclusão de curso.

 
Publicado
2018-12-20
Como Citar
Cunha, J. A., Souza, Z., Moreira, J. A., & Valcácio, S. (2018). Mecanismo de colocação e auréola termal provocada pelo plúton Ediacarano Catingueira, Província Borborema, Nordeste do Brasil. Geologia USP. Série Científica, 18(4), 209-226. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v18-143141
Seção
Artigos