Hiperpicnitos (Inunditos) como análogos de reservatórios: um exemplo nos depósitos Gonduânicos Triássicos do Gráben Arroio Moirão, Rio Grande do Sul

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v19-143145

Palavras-chave:

Bacia do Paraná, Formação Santa Maria, Sequência Candelária, Turbiditos extrabacinais

Resumo

Os arenitos associados a modelos episódicos de inundação, como os Inunditos provenientes de fluxos hiperpicnais em corpos de água rasa, podem ser reservatórios de hidrocarbonetos. No entanto, há poucos estudos para entender a arquitetura e heterogeneidade desses modelos, o que resulta em dificuldades para exploração e explotação desses reservatórios. O presente trabalho visa à análise de pacotes triássicos da Bacia do Paraná pertencentes à Formação Santa Maria, que ocorrem como fragmentos isolados sobre o Escudo Sul-Rio-Grandense na região do Gráben Arroio Moirão (Rio Grande do Sul). Para tanto, fez-se um estudo comparativo de modelos de inundação e como metodologia de obtenção de dados utilizou-se mapeamento sistemático, análise de heterogeneidade de fácies e estratigrafia de sequências, que incluem levantamento de perfis colunares, identificação de associações e sucessões de fácies e superfícies-chave. Secundariamente, algumas análises petrográficas foram realizadas. Foi possível delimitar os principais depósitos de arenitos, dos quais predominam geometria tabular, grãos mal selecionados e alguma matriz argilosa. Distinguiram-se cinco ciclos deposicionais granodecrescentes ascendentes, limitados na base e no topo por superfícies erosivas, que marcam heterogeneidades recorrentes. As fácies-reservatório são subarcósios, de matriz argilosa com agregados de caulinita, porosidade intergranular e shrinkage. Identificaram-se potenciais fácies-reservatório constituídas de arenitos grossos a conglomeráticos, com estratificações cruzada tangencial e plano-paralela. A integração dos dados resultou na elaboração de um modelo de variação lateral e vertical de fácies de hiperpicnitos lacustres, como um potencial modelo análogo de reservatório do tipo compartimentado. Esses resultados possibilitam prospectar outros depósitos arenosos dessa unidade estratigráfica da Bacia do Paraná, para fins de dimensionar regionalmente o análogo de reservatório.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yolanda Caliman Rodrigues, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências

Mestranda em Geociências na Pós Graduação em Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de estratigrafia.

Rualdo Menegat, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências

Professor de Geologia, sub-área Estratigrafia, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ana Maria Pimentel Mizusaki, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências

Professora orientadora do Programa de Pós Graduação em Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de estratigrafia.

Aurélio Fagundes Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências

Doutorando em Geociências na Pós Graduação em Geociências da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de estratigrafia.

Downloads

Publicado

2019-12-20

Como Citar

Rodrigues, Y. C., Menegat, R., Mizusaki, A. M. P., & Silva, A. F. (2019). Hiperpicnitos (Inunditos) como análogos de reservatórios: um exemplo nos depósitos Gonduânicos Triássicos do Gráben Arroio Moirão, Rio Grande do Sul. Geologia USP. Série Científica, 19(4), 121-145. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v19-143145

Edição

Seção

Artigos