Faciologia orgânica da Formação Romualdo (Grupo Santana, Cretáceo Inferior da Bacia do Araripe): caracterização da matéria orgânica sedimentar e interpretação paleoambiental

  • Marília Carvalho Teixeira Programa de Pós-graduação em Geologia, Faculdade de Geologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • João Graciano Mendonça Filho Laboratório de Palinofácies e Fácies Orgânica, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • Antônio Donizeti de Oliveira Laboratório de Palinofácies e Fácies Orgânica, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ
  • Mário Luis Assine Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP
Palavras-chave: Bacia do Araripe, Formação Romualdo, Matéria orgânica sedimentar, Palinofácies, Paleoambiente

Resumo

A reconstrução paleoambiental do Grupo Santana (Neoaptiano-Eoalbiano) é matéria ainda controversa, principalmente no que se refere à influência marinha na sedimentação. Nesse contexto, a análise de palinofácies pode ser utilizada como ferramenta na caracterização de sistemas deposicionais, por meio da determinação de parâmetros palinofaciológicos e organogeoquímicos, baseados na concentração e distribuição dos componentes da matéria orgânica. No presente estudo foram utilizadas técnicas de microscopia em luz branca transmitida e azul/ultravioleta incidente (fluorescência) e métodos geoquímicos para a identificação dos diferentes grupos e subgrupos da matéria orgânica particulada em 58 amostras de uma seção sedimentar da Formação Romualdo (Grupo Santana, Cretáceo Inferior da Bacia do Araripe). As análises permitiram verificar a existência de duas assembleias distintas de componentes orgânicos particulados. A primeira é caracterizada por dominância de matéria orgânica amorfa derivada de tecidos vegetais, com quantidades relativamente elevadas de componentes de origem marinha. A segunda assembleia é caracterizada por dominância do Grupo Fitoclasto, predominando o subgrupo do fitoclasto não opaco não bioestruturado. A subdivisão do perfil litológico estudado em cinco intervalos estratigráficos possibilitou identificar ciclicidade no padrão de suprimento do material orgânico, relacionada a oscilações do nível relativo do mar. Dentre os intervalos estratigráficos identificados, constatou-se indícios da ocorrência de pelo menos duas ingressões marinhas durante a deposição da Formação Romualdo. A primeira marca o estabelecimento de condições relativamente estáveis de deposição da matéria orgânica, sob fácies de caráter mais distal a intermediário, em ambiente de mar epicontinental. A segunda ingressão marinha apresenta tendência de deposição da matéria orgânica sedimentar em condições proximais, mas com elevada influência de componentes de origem marinha, evidenciando um ambiente transicional proximal-distal, possivelmente um ambiente marinho costeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-02-07
Como Citar
Teixeira, M., Mendonça Filho, J., Oliveira, A., & Assine, M. (2018). Faciologia orgânica da Formação Romualdo (Grupo Santana, Cretáceo Inferior da Bacia do Araripe): caracterização da matéria orgânica sedimentar e interpretação paleoambiental. Geologia USP. Série Científica, 17(4), 19-44. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v17-347
Seção
Artigos