Mapeamento estratigráfico utilizando sísmica de alta resolução no trecho da futura Ponte Salvador-Itaparica, Bahia, Brasil

Palavras-chave: Baía de Todos os Santos, Sísmica rasa de Alta Resolução, Baías, Sondagens SPT

Resumo

As sequências sedimentares marinhas do Quaternário têm sido amplamente estudadas pela sísmica marinha de reflexão rasa, a qual se baseia na propagação das ondas sísmicas, com o intuito de realizar imagens das feições geológicas de subsuperfı́cie. Dados sísmicos em associação com furos de sondagens SPT podem produzir informações sobre litologia, coesão, profundidade, espessura e continuidade lateral das camadas, tendo assim grande utilidade no planejamento e na execução de obras de engenharia em regiões submersas, como pontes. Este trabalho realizou o mapeamento estratigráfico para identificar o topo do substrato rochoso e a espessura da cobertura sedimentar recente na região da Baía de Todos os Santos (BTS), na qual será construída uma ponte que ligará a cidade de Salvador à ilha de Itaparica. As linhas sísmicas de alta resolução foram obtidas utilizando-se fontes Boomer e Sparker. As linhas foram processadas por meio de um fluxo de processamento normalmente utilizado na indústria do petróleo no aplicativo Seismic Unix. A interpretação das linhas foi feita no aplicativo Meridata MDPS. Dessa forma, o embasamento rochoso (bacia do Recôncavo) foi mapeado, e a espessura da cobertura sedimentar quaternária foi determinada. Quatro unidades estratigráficas foram identificadas, sendo que a mais basal são as rochas sedimentares da Bacia do Recôncavo. Dentre as três unidades quaternárias identificadas, a mais inferior se acumulou sob condições subaéreas antes da inundação da baía. As duas unidades superiores se acumularam após a inundação da baía e estão separadas entre si por uma superfície de ravinamento por marés.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isaac de Oliveira Santos, Universidade Federal da Bahia, Instituto de Geociências

Possui graduação em Geofísica pela Universidade Federal da Bahia (2011), atualmente é mestre em Geologia, pela mesma instituição (2018). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geofísica, atuando diretamente no processamento e interpretaçãode de dados sísmicos.

José Maria Landim Dominguez, Universidade Federal da Bahia, Instituto de Geociências

José Maria Landim Dominguez concluiu a graduação em geologia pela Universidade Federal da Bahia, onde também obteve o Mestrado em Geologia, área de concentração em Sedimentologia. Concluiu seu doutorado em Geologia e Geofísica Marinha pela Rosenstiel School of Marine and Atmospheric Sciences da Universidade de Miami em 1987. Atualmente é professor titular em Geologia Costeira e Sedimentar da Universidade Federal da Bahia e coordena o inct AmbTropic - Ambientes Marinhos Tropicais. Atua nas áreas de Oceanografia, Geologia Marinha e Geologia Costeira. Seus principais interesses em pesquisa são: Origem e Evolução da Zona Costeira e Plataforma Continental, Variações do Nívels do Mar, Dinâmica Costeira, Sedimentação Marinha, Erosão Costeira e Sedimentação Deltáica.

Publicado
2019-12-20
Como Citar
Santos, I., & Dominguez, J. (2019). Mapeamento estratigráfico utilizando sísmica de alta resolução no trecho da futura Ponte Salvador-Itaparica, Bahia, Brasil. Geologia USP. Série Científica, 19(4), 85-98. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v19-150500
Seção
Artigos