Análise multitemporal da variação da linha de costa no setor centro-sul da Ilha de Santa Catarina, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v21-182064

Palavras-chave:

Mudanças costeiras, Análise espacial, Digital Shoreline Analysis System, Variabilidade, Feições indicadoras de linha de costa, Florianópolis

Resumo

O reconhecimento e a quantificação de tendências da variação da linha de costa são de fundamental importância para o entendimento dos processos que moldam os ambientes costeiros, dando suporte à gestão dessas áreas. Este trabalho apresenta os resultados da análise da variação da linha de costa de um período de 78 anos em nove arcos praiais do setor centro-sul da Ilha de Santa Catarina com base em fotografias aéreas de 1938 a 2016. Três modelos espaciais foram gerados no Digital Shoreline Analysis System com a identificação de feições indicadoras de linha de costa: modelo E (limite entre praia-duna), modelo K (limite entre a área seca-molhada) e modelo M (linha de água instantânea). Os resultados mostram heterogeneidade entre os modelos espaciais com a variação média da linha de costa de 0,05 ± 0,12 m/ano para a linha E, 0,12 ± 0,25 m/ano para K e -0,20 ± 0,20 m/ano para M. O modelo E apresenta dispersão de 0,27 m e melhor ajuste às mudanças da linha de costa. O modelo K destaca-se pela alta dispersão (0,35 m) e retrata razoavelmente as mudanças costeiras. O modelo M mostra dispersão de 0,28 m e baixa confiabilidade na representação da variação da linha de costa. O processo de acreção é identificado nos arcos praiais dos Açores-Pântano do Sul e Campeche-Joaquina, sendo responsável pelo aporte contínuo de sedimentos para os sistemas eólicos adjacentes. O processo erosivo é identificado nos arcos praiais da Armação-Caldeirão e do Morro das Pedras-Campeche. Os arcos praiais de Naufragados, Lagoinha do Leste, Matadeiro, Mole e Galheta exibem relativa estabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alberico, I., Amato, V., Aucelli, P. P. C., D’Argenio, B., Di Paola, G., Pappone, G. (2012). Historical shoreline change of the Sele Plain (Southern Italy): The 1870–2009 time window. Journal of Coastal Research, 28(6), 1638-1647. https://doi.org/10.2112/JCOASTRES-D-10-00197.1

Anders, F. J., Byrnes, M. R. (1991). Accuracy of shoreline change rates as determined from maps and aerial photographs. Shore and Beach, 59(1), 17-26.

Araújo, C. E. S. (2020). Análise das flutuações do nível do mar no litoral de Santa Catarina. Revista Agropecuária Catarinense, 33(1), 61-67. https://doi.org/10.52945/rac.v33i1.535

Araújo, C. E. S., Franco, D., Melo Filho, E., Pimenta, F. (2003). Wave regime characteristics of southern Brazilian coast. 6º International Conference on Coastal and Port Engineering in Developing Countries. Paper n. 97. Colombo, Sri Lanka: COPEDEC, 15 p.

Araújo, R. S., Silva, G. V., Freitas, D., Klein, A. H. F. (2009). Georreferenciamento de fotografias aéreas e análise da variação da linha de costa. In: J. Alcántara-Cario, I. D. Correa, F. Isla, M. Alvarado, A. H. F. Klein, J. A. Cabrera, eds. Métodos en teledetección aplicada a la prevención de riesgos naturales en el litoral. Madri: Servicio de Publicaciones del Programa Iberoamericano de Ciencias y Tecnología para el Desarrollo, p. 123-138.

Backes, B. (2017). População de Florianópolis quase triplicou no Réveillon, aponta Casan. RCN, 2017. Disponível em: http://rcnonline.com.br/popula%C3%A7%C3%A3o-deflorian%C3%B3polis-quase-triplicou-no-r%C3%A9veillonaponta-casan-1.1955463. Acesso em: 7 dez. 2020.

Basei, M. A. S., Campos Neto, M. C., Castro, N. A., Nutman, A. P., Wemmer, K., Yamamoto, M. T., Hueck, M., Osako, L., Siga, O., Passarelli, C. R. (2011). Tectonic evolution of the Brusque Group, Dom Feliciano Belt, Santa Catarina, Southern Brazil. Journal of South American Earth Sciences, 32(4), 324-350. https://doi.org/10.1016/j.jsames.2011.03.016

Bird, E. C. F. (1985). Coastline changes. Nova York: Wiley and Sons, 219 p.

Bird, E. C. F. (1987). The modern prevalence of beach erosion. Marine Pollution Bulletin, 18(4), 151-157. https://doi.org/10.1016/0025-326X(87)90238-4

Boak, E. H., Turner, I. L. (2005). Shoreline definition and detection: a review. Journal of Coastal Research, 2005(214), 688-703. https://doi.org/10.2112/03-0071.1

Brasil. (1984). Decreto nº 89.817. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1980-1989/D89817.htm. Acesso em: 12 fev. 2021.

Castilhos, J. A. (1995). Estudo evolutivo, sedimentológico e morfodinâmico da planície costeira e praia da Armação - Ilha de Santa Catarina, SC. Dissertação (Mestrado). Florianópolis: Curso de Pós-Graduação em Geografia, Geociências, Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/76302. Acesso em: 15 out. 2021.

Crowell, M., Leatherman, S. P., Buckley, M. K. (1991). Historical shoreline change: Error analysis and mapping accuracy. Journal of Coastal Research, 7(3), 839-852. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/4297899. Acesso em: 15 out. 2021.

Dalbosco, A. L. P. (2013). Análise histórica da linha de costa e dos padrões hidrodinâmicos e de transporte de sedimentos da Praia da Armação, Ilha de Santa Catarina/SC. Dissertação (Mestrado). Florianópolis: Curso de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/123014. Acesso em: 15 out. 2021.

Danforth, W. W., Thieler, E. R. (1992). Digital Shoreline Analysis System (DSAS) user’s guide: version 1.0 (No. 92-355). US Geological Survey. https://doi.org/10.3133/ofr92355

Dillenburg, S. R., Hesp, P. A. (2009). Geology and geomorphology of Holocene coastal barriers of Brazil. Cham: Springer, 380 p. https://doi.org/10.1007/978-3-540-44771-9

Diretoria de Serviços Cartográficos (DSG). (2016). Norma da especificação técnica para controle de qualidade de dados geoespaciais. ET-CQDG. Brasília: DSG. Disponível em: http://www.geoportal.eb.mil.br/portal/images/PDF/ET_CQDG_1a_edicao_2016.pdf. Acesso em: 12 fev. 2021.

Dolan, R., Anders, F., Kimball, S. (1985). Coastal erosion and accretion, in National Atlas of the United States of America. Reston: U.S. Geological Survey, 1 sheet, scale 1:7,500,000.

Dolan, R., Hayden, B. P., May, P., May, S. (1980). The reliability of shoreline change measurements from aerial photographs. Shore and Beach, 48, 22-29.

ESA Copernicus Sentinel Data. (2018). Composição 4-3-2 do Satélite Sentinel-2. Disponível em: https://www.esa.int/Our_Activities/Observing_the_Earth/Copernicus/Sentinel-2. Acesso em: 23 out. 2018.

Estevam, C. N. (2019). Análise espacial do registro clástico Quaternário da Planície Costeira do estado de Santa Catarina, Brasil. TCC (Graduação em Geologia). Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina.

Fletcher, C. H., Romine, B. M., Genz, A. S., Barbee, M. M., Dyer, M., Anderson, T. R., Richmond, B. M. (2012). National assessment of shoreline change: Historical shoreline change in the Hawaiian Islands. Open-File Report 2011-1051. USGS.

Ford, M. (2013). Shoreline changes interpreted from multitemporal aerial photographs and high-resolution satellite images: Wotje Atoll, Marshall Islands. Remote Sensing of Environment, 135, 130-140. https://doi.org/10.1016/j.rse.2013.03.027

Harley, M. D., Turner, I. L., Short, A. D., Ranasinghe, R. (2011). A reevaluation of coastal embayment rotation: The dominance of cross-shore versus alongshore sediment transport processes, Collaroy-Narrabeen Beach, southeast Australia. Journal of Geophysical Research: Earth Surface, 116(F4). https://doi.org/10.1029/2011JF001989

Himmelstoss, E. A., Henderson, R. E., Kratzmann, M. G., Farris, A. S. (2018). Digital shoreline analysis system (DSAS) version 5.0 user guide (No. 2018-1179). US Geological Survey. https://doi.org/10.3133/ofr20181179

Horn Filho, N. O. (2006). Ilha de Santa Catarina. In: D. Muehe (org.). Erosão e progradação do litoral brasileiro. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 476 p.

Horn Filho, N. O., Leal, P. C. (2017). Geologia das 117 praias arenosas da ilha de Santa Catarina, Brasil. Florianópolis: Edições do Bosque, v. 1, 220 p. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/178811. Acesso em: 15 out. 2021.

Horn Filho, N. O., Schmidt, A. D., Abreu, J. G. N., Estevam, C. N., Araújo, R. S. (2018). Panorama da Erosão Costeira no Brasil - Santa Catarina. In: D. Muehe (org.). Panorama da erosão costeira no Brasil. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, v. 1, 759 p.

Hwang, D. J. (1981). Beach changes on Oahu as revealed by aerial photographs. Coastal Zone Management Program, Technical Supplement 22. Honolulu: Department of Planning and Economic Development, 146 p. Disponível em: https://onesearch.library.uwa.edu.au/permalink/61UWA_INST/1iju3hj/alma9979176402101. Acesso em: 15 out. 2021.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2015). Resolução 01/2015. Disponível em: geoftp.ibge.gov.br/metodos_e_outros_documentos_de_referencia/normas/rpr_01_2015_sirgas2000.pdf. Acesso em: 29 nov. 2018.

Kabuth, A. K., Kroon, A., Pedersen, J. B. (2014). Multidecadal shoreline changes in Denmark. Journal of Coastal Research, 30(4), 714-728. https://doi.org/10.2112/JCOASTRES-D-13-00139.1

Klein, A. H. F., Menezes, J. T., Diehl, F. L., Abreu, J. G. N., Polette, M., Sperb, R. M., Sperb, R. C. (2006). Santa Catarina. In: D. Muehe (org.). Erosão e progradação do litoral brasileiro. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 476 p.

Klein, A. H. F., Prado, M. F. V., Dalinghaus, C., Camargo, J. M. (2016a). Metodologia para quantificação de perigos costeiros e projeção de linhas de costa futuras como subsídio para estudo de adaptação das zonas costeiras: litoral norte da Ilha de Santa Catarina e entorno. Final Report. Brasil: Ministério do Meio Ambiente, 206 p. Disponível em: https://smcbrasil.paginas.ufsc.br/files/2018/03/Klein_et_al_2016_Metodologia_para_quantifica%C3%A7%C3%A3o_de_perigos_costeiros-1.pdf. Acesso em: 15 out. 2021.

Klein, A. H. F., Short, A. D., Bonetti, J. (2016b). Santa Catarina beach systems. In: A. D. Short, A. H. F. Klein (org.). Brazilian Beach Systems. Springer Coastal Research Library, p. 465-506. https://doi.org/10.1007/978-3-319-30394-9

Krueger, J. (2011). Análise dos parâmetros meteorológicos e oceanográficos dos eventos de ressaca, ocorridos entre janeiro de 2001 a dezembro de 2010, no Estado de Santa Catarina. Monografia (Graduação em Oceanografia). Itajaí: Universidade do Vale do Itajaí.

Marins, P. C. O. (2020). Análise têmporo-espacial da urbanização sobre as unidades geológicas da Planície Costeira e relação com a erosão costeira na costa oceânica da Ilha de Santa Catarina, SC, Brasil. Dissertação (Mestrado). Florianópolis: Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/219447. Acesso em: 15 out. 2021.

Monteiro, M. A., Furtado, S. M. A. (1995). O clima do trecho Florianópolis – Porto Alegre: uma abordagem dinâmica. Geosul, 19(20), 116-133.

Morton, R. A., Miller, T., Moore, L. (2005). Historical shoreline changes along the US Gulf of Mexico: a summary of recent shoreline comparisons and analyses. Journal of Coastal Research, 21(4), 704-709. https://doi.org/10.2112/04-0230.1

Muehe, D. (2018). Panorama da erosão costeira no Brasil. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 759 p.

Nebel, S. H., Trembanis, A. C., Barber, D. C. (2012). Shoreline analysis and barrier island dynamics: decadal scale patterns from Cedar Island, Virginia. Journal of Coastal Research, 28(2), 332-341. https://doi.org/10.2112/JCOASTRES-D-10-00144.1

Paraizo, L. (2019). Florianópolis ultrapassa marca de meio milhão de habitantes. NSC Total. Disponível em: https://www.nsctotal.com.br/noticias/florianopolis-ultrapassa-marca-demeio-milhao-de-habitantes. Acesso em: 7 dez. 2020.

Rocchini, D., Di Rita, A. (2005). Relief effects on aerial photos geometric correction. Applied Geography, 25(2), 159-168. https://doi.org/10.1016/j.apgeog.2005.03.002

Romine, B. M., Fletcher, C. H. (2013). A summary of historical shoreline changes on beaches of Kauai, Oahu, and Maui, Hawaii. Journal of Coastal Research, 29(3), 605-614. https://doi.org/10.2112/JCOASTRES-D-11-00202.1

Romine, B. M., Fletcher, C. H., Frazer, L. N., Genz, A. S., Barbee, M. M., Lim, S. C. (2009). Historical shoreline change, southeast Oahu, Hawaii; applying polynomial models to calculate shoreline change rates. Journal of Coastal Research, 25(6), 1236-1253. https://doi.org/10.2112/08-1070.1

Ruy, R. S., Tommaselli, A. M. G., Reis, T. T., Galo, M., Hasegawa, J. K., Imai, N. N., Camargo, P. O. Junior, J. P. M. (2007). Sistema aerotransportado leve de aquisição de imagens digitais - SAAPI. XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Florianópolis: INPE, p. 1329-1335. Disponível em: http://marte.sid.inpe.br/col/dpi.inpe.br/sbsr@80/2006/11.15.22.41/doc/1329-1335.pdf. Acesso em: 15 out. 2021.

Schmidt, A. D., Horn Filho, N. O., Estevam, C. N. (2013). Estratégias adotadas para conter a erosão costeira no litoral de Santa Catarina, Brasil. VII Congresso sobre Planejamento e Gestão das Zonas Costeiras dos Países de Expressão Portuguesa. Maputo, p. 1-12.

Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU). (2019). Metodologia de Conversão de Dados Geoespaciais da SPU, Capítulo Georreferenciamento. Brasília: Ministério do Planejamento, SPU, 24 p. Disponível em: https://www.gov.br/economia/pt-br/assuntos/patrimonio-da-uniao/geoinformacao/normase-padroes-1/MetodologiadeConversodeDadosCaptuloGeorreferenciamentov2.2.pdf. Acesso em: 15 out. 2021.

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável de Santa Catarina (SDE). (2016). Hidrografia e limites geográficos. Florianópolis: Diretoria de Estatística e de Cartografia (DEGE).

Silva, G. V., Muler, M., Prado, M. F., Short, A. D., Klein, A. H. F., Toldo, E. E. (2016). Shoreline change analysis and insight into the sediment transport path along Santa Catarina Island north shore, Brazil. Journal of Coastal Research, 32(4), 863-874. https://doi.org/10.2112/JCOASTRES-D-15-00164.1

Silva, G. V., Toldo Jr., E. E., Klein, A. H. F., Short, A. D. (2018). The influence of wave-, wind-and tide-forced currents on headland sand bypassing–Study case: Santa Catarina Island north shore, Brazil. Geomorphology, 312, 1-11. https://doi.org/10.1016/j.geomorph.2018.03.026

Simó, D. H., Horn Filho, N. O. (2004). Caracterização e distribuição espacial das “ressacas” e áreas de risco na ilha de Santa Catarina, SC, Brasil. Gravel, 2, 93-103. Disponível em: https://www.ufrgs.br/gravel/2/Gravel_2_09.pdf. Acesso em: 15 out. 2021.

Souza, J. M., Vieira, V. F., Trabaquini, K., Dortzbach, D., Vieira, E. (2017). Qualidade geométrica das ortofotos e modelo digital de terreno do levantamento aerofotogramétrico do Estado de Santa Catarina: Estudo de caso: Microbacia Alto Cubatão. XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Santos: INPE.

Tanaka, A. P. B. (2010). Sedimentologia, cronologia e dinâmica progradacional das planícies costeiras de Campos Verdes e Ji (Laguna, SC). Dissertação (Mestrado). São Paulo: Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-08012011-200134/pt-br.php. Acesso em: 21 out. 2021.

Thieler, E. R., Danforth, W. W. (1994a). Historical shoreline mapping (I): improving techniques and reducing positioning errors. Journal of Coastal Research, 10(3), 549-563. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/4298252. Acesso em: 15 out. 2021.

Thieler, E. R., Danforth, W. W. (1994b). Historical shoreline mapping (II): application of the digital shoreline mapping and analysis systems (DSMS/DSAS) to shoreline change mapping in Puerto Rico. Journal of Coastal Research, 10(3), 600-620. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/4298256. Acesso em: 15 out 2021.

Tomazzoli, E. R., Pellerin, J. R. G. M., Horn Filho, N. O. (2018). Geologia da Ilha de Santa Catarina, Santa Catarina, Brasil. Geociências, 37(4), 715-731. https://doi.org/10.5016/geociencias.v37i4.11656

Truccolo, E. C., Franco, D., Schettini, C. A. F. (2004). The low frequency sea level oscillations in the northern coast of Santa Catarina, Brazil. Journal of Coastal Research, 39, S47-S52. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/25741633.Acesso em: 15 out. 2021.

Valiela, I. (2006). Global coastal change. Malden: Blackwell, 376 p.

Vos, K., Harley, M. D., Splinter, K. D., Simmons, J. A., Turner, I. L. (2019). Sub-annual to multi-decadal shoreline variability from publicly available satellite imagery. Coastal Engineering, 150, 160-174. https://doi.org/10.1016/j.coastaleng.2019.04.004

Zhang, K., Douglas, B. C., Leatherman, S. P. (2004). Global warming and coastal erosion. Climatic Change, 64(1-2), 41. https://doi.org/10.1023/B:CLIM.0000024690.32682.48

Downloads

Publicado

2021-12-14

Como Citar

Estevam, C. N. ., Osako, L. S. ., & Francisco, J. A. A. . (2021). Análise multitemporal da variação da linha de costa no setor centro-sul da Ilha de Santa Catarina, Brasil. Geologia USP. Série Científica, 21(4), 73-90. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9095.v21-182064

Edição

Seção

Artigos