Salve os inglórios! Historicidade e memória em O mestre-sala dos mares

Autores

  • Thiago Kater Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-7547.hd.2016.113336

Palavras-chave:

Música Brasileira – Revolta da Chibata – Memória

Resumo

A canção  O mestre-salados mares, composta por João Bosco e Aldir Blanc e lançada no álbum Caça a Raposa em 1975, é um dos tantos exemplos em que foi possível conciliar a crítica à ditadura e o sucesso mercadológico na indústria fonográ- fica. A canção se estrutura como um discurso histórico elogioso a respeito da Revolta da Chibata. Este ensaio pretende propor uma análise da letra desta canção, entendendo-a enquanto documento histórico ou discurso historiográfico e, portanto, passível de interpretações que permitirão desdobrar conceitos e vinculações teóricas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Kater, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

Graduado em História pela Universidade de São Paulo em 2012. Graduando de Letras pela Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2016-03-26

Como Citar

Kater, T. (2016). Salve os inglórios! Historicidade e memória em O mestre-sala dos mares. Humanidades Em diálogo, 7, 93-108. https://doi.org/10.11606/issn.1982-7547.hd.2016.113336

Edição

Seção

Dossiê