Expressões latinas e a constituição do imaginário em “O barril de Amontillado”

Autores

  • Evandro Lisboa Freire Centro Universitário Ibero-Americano (UNIBERO)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-1616.v12i13p427-437

Palavras-chave:

Conto, Expressões latinas, Fidelidade na tradução, Unidade de efeito, Estilística da enunciação

Resumo

Este estudo é uma análise do conto O barril de Amontillado, de Edgar Allan Poe, na tradução de Brenno Silveira. Nosso objeto é o emprego ipsis litteris de duas expressões latinas em relação à unidade de efeito almejada na narrativa. Nosso objetivo é apontar o papel estilístico dessa opção, uma vez que nemo me impune lacessit e in pace requiescat proporcionam à narrativa um princípio de causa e efeito essencial e questionável. Nosso método consiste em uma descrição concisa dessas expressões latinas sob a perspectiva conceitual da estilística da enunciação. Nosso embasamento teórico foi proporcionado por Nilce Sant’Anna Martins (Introdução à estilística: a expressividade na língua portuguesa) e Regina Rocha (A enunciação dos provérbios: descrições em francês e português), e conta com outras leituras de apoio. Nossa conclusão endossa a opção do tradutor em preservar as expressões latinas nesse conto, que não é nada simples em termos de interpretação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-12-01

Edição

Seção

nao definida