Leitura e práticas formadoras de leitores: percepções dos bibliotecários do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) – Câmpus da Região da Grande Florianópolis

Autores

  • Cristiano Sardá da Conceição Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Gisela Eggert-Steindel Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v12i2p70-88

Palavras-chave:

Leitura, Incentivo à leitura, Práticas de leitura, Formação de leitores, Institutos federais de educação, ciência e tecnologia

Resumo

O estudo apresenta um recorte do conceito de leitura expressado por bibliotecários do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), práticas formadoras de leitores e promoção da leitura nas bibliotecas dessa instituição pública de ensino. Trata-se de uma pesquisa descritiva e qualitativa que utilizou questionário eletrônico enviado a 11 bibliotecários lotados nas bibliotecas do IFSC dos câmpus da região da Grande Florianópolis, com retorno de aproximadamente 90% desse universo de bibliotecários. No conceito destes bibliotecários, a leitura é um ato de interpretação e produção de sentidos, pressupondo que a leitura tem uma estreita relação entre informação e conhecimento na clave da leitura, quer de estudo, como a leitura de fruição ou lazer. Desenvolvem práticas de incentivo à leitura com atividades lúdicas sobre obras de literatura de ficção: roda de leitura, leitura e debates e sarau literário, e com divulgação do livro e da leitura: exposição de livros, indicação de obras literárias, troca-troca de livros, estante expositiva e estante permanente de destaque de obras literárias. Práticas estas criadas por estes profissionais da leitura e escrita, informação e conhecimento, no intuito de uma formação continuada de leitores e promoção da leitura reconhecendo a leitura como importante quesito para formação pessoal, acadêmica e profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Sardá da Conceição, Universidade do Estado de Santa Catarina

Mestrando em Gestão de Unidades de Informação, pelo Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação (PPGInfo) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Gisela Eggert-Steindel, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação e no Programa de Pós-Graduação em Gestão da Informação do Centro de Ciências Humanas e da Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Referências

ALMEIDA JÚNIOR, Osvaldo Francisco de. Leitura, mediação e apropriação da informação. In: SANTOS, Jussara Pereira dos (Org.). A leitura como prática pedagógica na formação do profissional da informação. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2007.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 4. ed., rev. e atual. Lisboa: Ed. 70, 2009. 223 p.

BARRETO, Aldo de Albuquerque. A informação no processo do conhecimento: o texto e o hipertexto. DataGramaZero, v. 16, n. 3, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/8178. Acesso em: 02 nov. 2020.

CALDIN, Clarice Fortkamp. A função social da leitura da literatura infantil. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, v. 8, n. 15, p. 47-58, 2003. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/52181. Acesso em: 25 out. 2020.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 45. ed. São Paulo: Cortez, 2003. 87 p.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010. 297 p.

MARTINS, Maria Helena. O que é leitura. 19. ed. São Paulo: Brasiliense, 2006. 93 p.

PETIT, Michèle. A arte de ler ou como resistir à adversidade. São Paulo: 34, 2010. 304 p.

PETIT, Michèle. Leituras: do espaço íntimo ao espaço público. São Paulo: 34, 2013. 168 p.

PETIT, Michèle. Leitura em regiões de conflito. Na Ponta do Lápis, São Paulo, v. 7, n. 16, p. 2-4, 2011. Disponível em: https://www.escrevendoofuturo.org.br/arquivos/4698/npl16.pdf. Acesso em: 02 out. 2020.

PETIT, Michèle. Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. São Paulo: 34, 2009. 192 p.

SILVA, Marta Benjamim da; BERNARDINO, Maria Cleide Rodrigues; NOGUEIRA, Carine Rodrigues. Políticas públicas para a leitura no Brasil: implicações sobre a leitura infantil. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n. 3, p. 20-46, abr. 2012. Disponível em: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/6437/4789. Acesso em: 6 nov. 2020.

SILVA, Vera Maria Tietzmann. Leitura literária & outras leituras: impasses e alternativas no trabalho do professor. Belo Horizonte: RHJ, 2009. 216 p.

SOUZA, Leila. A importância da leitura para a formação de uma sociedade consciente. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA DA INFORMAÇÃO. Salvador, 2007. Anais eletrônicos... Salvador: UFBA, 2007. Disponível em: http://www.cinform.ufba.br/7cinform/soac/papers/f42e0a81e967e9a4c538a2d0b653.pdf. Acesso em: 10 out. 2020.

Downloads

Publicado

2021-11-30

Como Citar

CONCEIÇÃO, C. S. da; EGGERT-STEINDEL, G. Leitura e práticas formadoras de leitores: percepções dos bibliotecários do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) – Câmpus da Região da Grande Florianópolis. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 70-88, 2021. DOI: 10.11606/issn.2178-2075.v12i2p70-88. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/incid/article/view/179782. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos