Epistemologia ‘Not Only’: as bibliotecas públicas de Bachelard à Deleuze

Autores

  • Solange Puntel Mostafa Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
  • Daniele Achilles Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
  • Deise Maria Antonio Sabbag Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto https://orcid.org/0000-0001-6392-4719

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v12i1p3-18

Palavras-chave:

Epistemologia social, Epistemologia construtivista, Filosofia da diferença, Criação de conceitos, 'Biblioteca not only'

Resumo

O artigo tem como objetivo a proposição da epistemologia ‘but not only’ por meio de um percurso dialógico que alinha a Epistemologia Social de Jesse Shera à Epistemologia construtivista defendida por Gaston Bachelard delineando um caminho reflexivo-crítico pela Filosofia da Diferença de Gilles Deleuze e Félix Guattari e a antropologia de Marisol de La Cadena. A metodologia empregada é exploratória pautada no método qualitativo que desenvolve interlocução entre os teóricos e movimentos epistemológicos estabelecendo uma tessitura marcada pela filosofia da diferença que se expressa na criação de conceitos e a distinção da epistemologia construtivista de Gaston Bachelard, epistemologia social econstrutivismo na filosofia de Gilles Deleuze.Este para explicar o que é conceito admite uma série de detalhes que tem origem na virtude dos problemas, concebendo uma trilha subjetiva e prática, tendo um todo fragmentário que acolhe a multiplicidade do conceito e seus processos. O conceito é construído a partir da articulação de elementos heterogêneos: é o acontecimento. O passeio pela epistemologia filosófica deleuziana que cria conceitos proporciona a criação do conceito filosófico ‘biblioteca notonly”. Biblioteca ‘notonly’ compreende um problema que não se esgota nos exemplos modelados em bibliotecas públicas ressignificados. Para elucidar os contornos da ‘biblioteca notonly’ é utilizado a sumarização de Mostafa e Nova Cruz (2009): todo conceito remete a um problema que está, de alguma maneira, mal-visto, mal colocado; todo conceito tem componentes, se define por eles; todo conceito tem uma história; todo conceito tem um devir.A ‘biblioteca not only’ são várias bibliotecas e outras que estão por vir. Como resultado epistemológico apresenta-se a ‘biblioteca notonly’como espaços amplos de aprendizagem que extrapolam a leitura e a escrita; como direção transformadora de problemas com a capacidade de acolhimento dos mais diversos públicos; como conceito que contempla o traçado histórico temporal desde o Brasil-colônia; como conceito de muitas outras bibliotecas e aponta para um além mais de bibliotecas ainda por vir.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Solange Puntel Mostafa, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP, Brasil.

Professora do curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da Faculdade Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – FFCLRP/USP, Brasil

Daniele Achilles, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Memória Social pelo Programa de Pós-Graduação em Memória Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO, Brasil.

Professora do Departamento de Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO, Brasil.

Deise Maria Antonio Sabbag, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista ‘Júlio de Mesquita Filho’ – UNESP, campus de Marília, Brasil.

Professora do curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da Faculdade Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo – FFCLRP/USP, Brasil.

Referências

ACHILLES, Daniele. Bibliotecas públicas brasileiras: sob a perspectiva da memória e da experiência. 2018. 278 f. Tese. (Doutorado em Memória Social) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

ALFARO LÓPEZ, Héctor Guillermo. El obstáculo epistemológico y la biblioteca, 2008. In: COLOQUIO DE INVESTIGACIÓN BIBLIOTECOLÓGICA Y SOBRE LA INFORMACIÓN, 25., 2008, Ciudad de México. [Conference paper]. Ciudad de México: Centro Universitario de Investigaciones Bibliotecologicas, UNAM, 2008.

ALFARO LÓPEZ, Héctor Guillermo. Estudios epistemológicos de bibliotecología. México: UNAM, Centro Universitario de Investigaciones Bibliotecologicas, 2010. (Teoría y métodos).

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro, Contraponto, 2005.

CADENA, Marisol de la. Runa: humanbutnotonly. Hau: Journal of Ethnographic Theory, London, v. 4, n .2, p. 253-259, 2014.

DELANDA, Manuel. Intensive science and virtual philosophy. New York: Continuum Press, 2002.

DELEUZE, Gilles. Bergsonismo. São Paulo: 34, 1999.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. São Paulo: Perspectiva, 1974.

DELEUZE, Gilles. O que é Filosofia. São Paulo: 34, 2010. (Coleção Trans).

DUTRA, Luiz Henrique de Araújo.Introdução à epistemologia. São Paulo: UNESP, 2010.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997.

GRECO, John; SOUSA, Ernest (org.) Compêndio de epistemologia. São Paulo: Loyola, 2008.

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. A vida em laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

LÉVY, Pierre.A inteligência cognitiva: por uma antropologia do ciberespaço. 8. ed. São Paulo: Loyola, 2011.

MANIGLIER, Patrice. Problem and structure: Bachelard, Deleuze and transdisciplinarity. Theory, culture and society, [s. l.], v. 38, issue 2, p. 25-45, 2019.

MOSTAFA, Solange Puntel; NOVA CRUZ, D. V. Para ler a filosofia de Gilles Deleuze e Félix Guattari. Campinas: Alínea, 2009.

ODDONE, Nanci. Revisitando a “epistemologia social”: esboço de uma ecologia sociotécnica do trabalho intelectual. Ciência da Informação, Brasília, v. 36, n.1, p. 108-123, jan./abr. 2007.

SAVIANI. Contribuição do artigo “o problema da pesquisa em educação e algumas de suas implicações” de Luiz Orlandi, à construção de uma ciência da educação autônoma e unificada. In: OLIVEIRA, F. B.; FIGUEIREDO, G.; MAGIOLINO, L. L. S. (org.) Flutuações da pesquisa educacional: o problema da pesquisa em educação de Luiz Orlandi (1968-2018). Curitiba: Appris, 2018.

SHERA, Jesse. The foudations of education for librarianship. New York: Becker and Hayes, 1972.

SHERA, Jesse. Toward a theory of librarianship and information science. Ciência da Informação, Brasília, v. 2, n. 2, p. 87-97, 1973.

WILLIAM, James. Deleuze and Bachelard: completeness and continuity in dialectics. In: WILLIAM, James. The transversal throught of Gilles Deleuze: encounters and influences. 2005. Cap. 4.

Downloads

Publicado

2021-06-16

Como Citar

MOSTAFA, S. P.; ACHILLES, D.; SABBAG, D. M. A. Epistemologia ‘Not Only’: as bibliotecas públicas de Bachelard à Deleuze. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 3-18, 2021. DOI: 10.11606/issn.2178-2075.v12i1p3-18. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/incid/article/view/180653. Acesso em: 27 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos