Linguagem Natural no Twitter e Linguagem Documentária em Tesauros: da hashtag #NãoMereçoSerEstuprada ao descritor estupro

Autores

  • Brisa Pozzi de Sousa Unirio - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
  • Flávio Pacheco da Silva Bacharel em Biblioteconomia pela Unirio

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v6i2p20-43

Palavras-chave:

Linguagem natural. Linguagem documentária. Twitter. Representação temática da informação. Estupro. Tesauro Brased. Tesauro STJ.

Resumo

Aponta a linguagem natural no Twitter a partir da hashtag #NãoMereçoSerEstuprada e realiza comparação entre a linguagem documentária de dois tesauros pelo descritor estupro, sendo o Thesaurus Brasileiro da Educação (Brased) e o Tesauro Jurídico do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A pesquisa é descritiva e bibliográfica, de cunho qualitativo, embasada na investigação teórica. Discorre sobre vantagens e desvantagens no uso dessas linguagens e demonstra que na natural qualquer palavra, ou até mesmo conjunto de palavras podem ser utilizadas como hashtag para representar qualquer assunto. No entanto, observa-se que o controle do vocabulário é um elemento essencial para a representação de assuntos, pois é uma linguagem artificial produzida com o objetivo de sistematizar o vocabulário controlando, como por exemplo, a polissemia. Os resultados demonstram que a linguagem natural no Twitter não padroniza a representação do assunto sendo considerada fator dispersivo, ao contrário das linguagens documentárias que apresentam vocabulário caracterizado pela precisão dos descritores.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Brisa Pozzi de Sousa, Unirio - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
    Departamento de Estudos e Processos Biblioteconômicos (DEPB) - Unirio
  • Flávio Pacheco da Silva, Bacharel em Biblioteconomia pela Unirio
    Bacharel em Biblioteconomia pela Unirio

Downloads

Publicado

2015-10-02

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

SOUSA, Brisa Pozzi de; SILVA, Flávio Pacheco da. Linguagem Natural no Twitter e Linguagem Documentária em Tesauros: da hashtag #NãoMereçoSerEstuprada ao descritor estupro. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, Brasil, v. 6, n. 2, p. 20–43, 2015. DOI: 10.11606/issn.2178-2075.v6i2p20-43. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/incid/article/view/89938.. Acesso em: 24 maio. 2024.