[1]
H. A. Olson, “A potência do não percebido: Hegel, Dewey e seu lugar na corrente principal do pensamento classificatório”, InCID: Rev. Ci. Inf. Doc., vol. 2, nº 1, p. 3-15, jun. 2011.