O romanesco no cinema italiano do pós-guerra

Autores

  • Annita Gullo Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Luciana de Genova Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i35p98-111

Palavras-chave:

Romanesco, Roma città aperta, Il sorpasso, Viaggi di nozze, Cinema italiano do pós-guerra

Resumo

Este artigo analisa o uso do romanesco, a variedade dialetal urbana de Roma, no cinema italiano do pós-guerra, utilizando três filmes como corpus de referência: Roma città aperta (1945), de Roberto Rossellini; Il sorpasso (1962), de Dino Risi; e Viaggi di nozze (1995), de Carlo Verdone. Os objetivos principais são: a) observar o uso do romanesco nos fílmes dos três períodos históricos abordados, tendo o apoio teórico de Sergio Raffaelli (1992), Eusebio Cicotti (2001) e Fabio Rossi (1999, 2006, 2007); b) verificar o grau de formalidade/informalidade das falas fílmicas. O critério de seleção dos três filmes foi a presença dos fenômenos fonéticos, considerados reveladores da variação diafásica. A maior ou menor frequência de tais traços permitiu identificar o nível de formalidade/informalidade nas falas dos atores de cada filme e constatar como se manifesta o continuum linguístico romano.

Biografia do Autor

Annita Gullo, Universidade Federal do Rio de Janeiro

É professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 1988. Possui mestrado e doutorado em Letras Neolatinas (1998), pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua e Literatura Italianas, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino e aprendizagem, ensino de língua estrangeira e ensino da língua italiana LE, Língua Italiana, cultura e Identidade. É docente do Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas, da UFRJ e membro da ABPI.

Luciana de Genova, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Letras - Português/Italiano pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1993). Concluiu o mestrado em Letras Neolatinas (2016) com bolsa pela CAPES com a dissertação intitulada A presença do romanesco no cinema italiano do pós-guerra. Atualmente é doutoranda em Letras Neolatinas, também pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

BERRUTO, G. Fondamenti di sociolinguistica. Roma-Bari: Laterza, 1995.

BERRUTO, G. Sociolinguistica dell’italiano contemporaneo. Roma: Carocci, 2015 [1987].

BRUNETTA, G. P. Cent’anni di cinema italiano. Vol.2; Dal 1945 ai giorni nostri. Roma-Bari: Laterza, 2010 [1991]

CICCOTTI, E. Appunti sul romanesco nella finzione cinematografica: 1943–1995. In: ONORATI, F.; TEODONIO, M. (a cura di). La letteratura romanesca nel secondo Novecento. Roma: Bulzoni, 2001, p. 267-325.

COSERIU, E. Los conceptos de ‘dialecto’, ‘nivel’ y ‘estilo de lengua’ y el sentido propio de la dialectología. Linguística española actual, III/1: 1-32, 1981.

D’ACHILLE, P.; GIOVANARDI, C. Dal Belli ar Cipolla. Conservazione e innovazione nel romanesco contemporaneo. Roma: Carocci, 2001.

DE MAURO, T. Il romanesco ieri e oggi. Roma, Bulzoni, 1989.

RAFFAELLI, S. La lingua filmata. Didascalie e dialoghi nel cinema italiano. Firenze: Le Lettere, 1992.

ROSSI, F. Le parole dello schermo. Analisi linguistica del parlato di sei film dal 1948 al 1957. Roma: Bulzoni, 1999.

ROSSI, F. Linguaggio cinematografico. Roma: Aracne, 2006.

ROSSI, F. Lingua italiana e cinema. Roma: Carocci, 2007.

SANTIPOLO, M. Dalla sociolinguistica alla glottodidattica. Torino: UTET Università, 2002.

STEFINLONGO, A.; D’ACHILLE, P.; BOCCAFURNI, M.. Lasciatece parlà. Il romanesco nell’Italia d’oggi. Roma: Carocci, 2012.

TRIFONE, P. Storia linguistica di Roma. Roma: Carocci, 2008.

Filmografia:

ROSSELLINI, R. Roma città aperta. DVD. Flamingo Video, 1945.

RISI, D. Aquele que sabe viver (Il sorpasso). Versátil Filmes, 1962.

VERDONE, C. Viaggi di nozze. Cecchi Gori Group Tiger Cinematografica, 1995.

Downloads

Publicado

2017-12-22

Como Citar

Gullo, A., & Genova, L. de. (2017). O romanesco no cinema italiano do pós-guerra. Revista De Italianística, (35), 98-111. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.v0i35p98-111

Edição

Seção

Artigos