Da Europa à América: os itinerários das primeiras obras de Primo Levi publicadas no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i41p98-111

Palavras-chave:

Primo Levi, Literatura de testemunho, Tradução, Recepção, Narrativa italiana do século XX

Resumo

Primo Levi (1919-1987) é um dos grandes autores do panorama literário universal da segunda metade do século XX. Considerado o principal nome da literatura sobre a Shoah, figura emblemática da memória sobre os campos de concentração e extermínio nazifascistas. Sua obra é um monumento narrativo e reflexivo sobre a condição do prisioneiro no Lager, mas, além disso, sobre a própria condição humana. Escritor atemporal, que se faz cada vez mais necessário em um contexto no qual as representações do fascismo ainda teimam em sobreviver. Considerando o grande alcance que os escritos de Levi tem nos diversos campos do conhecimento, bem como o itinerário que sua obra seguiu até o momento presente, nosso artigo tem a intenção de estabelecer um panorama sobre a recepção e a fortuna crítica das duas primeiras obras de Primo Levi publicadas no Brasil: É isto um homem? e Os afogados e os sobreviventes. Cuidar da recepção dos escritos de Primo Levi e da fortuna crítica por eles gerada é poder determinar o quanto o autor foi traduzido e acolhido nos mais diversos ambientes culturais de chegada e, estudando o processo que conduziu a essa acolhida, poder compreender o valor universal de sua literatura.

Biografia do Autor

Aislan Camargo Maciera, Universidade de São Paulo

Professor colaborador e pesquisador de pós-doutorado, bolsista CAPES/PNPD, do Departamento de Letras Modernas, Área de Língua, Literatura e Cultura Italianas.

Lucia Wataghin, Universidade de São Paulo

Professora de Literatura Italiana da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de Letras Modernas.

 

Referências

D’HULST, Lieven. Comparative Literature versus Translation Studies: Close Encounters of the Third Kind? European Review, Cambridge, v.15, n.1, p. 95-104, jan. 2007.

GOLDSTEIN, A.; SCARPA, D. In un’altra lingua. Torino: Einaudi, 2015.

LEVI, P. Opere complete. A cura di Marco Belpoliti. Torino: Einaudi, 2016, v. 1 e v. 2.

LEVI, P. Opere complete. A cura di Marco Belpoliti. Torino: Einaudi, 2018, v. 3.

LEVI, P.A chave estrela. Trad. Maurício Santana Dias. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

LEVI, P.A trégua. Trad. Marco Lucchesi. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

LEVI, P. A tabela periódica. Trad. Luiz Sergio Henriques. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

LEVI, P. È isto um homem? Trad. Luigi del Re. Rio de Janeiro: Rocco, 2013.

LEVI, P.Mil sóis. Trad. Maurício Santana Dias. São Paulo: Todavia, 2019.

LEVI, P.“Não éramos mais homens”. Trad. Aislan Camargo Maciera e Maurício Santana Dias. In: Cult, São Paulo: XXII (247): p. 38-39, jul. 2019.

LEVI, P.Os afogados e os sobreviventes. Trad. Luiz Sergio Henriques. São

Paulo: Paz e Terra, 2016.

LEVI, P.O ofício alheio. Trad. Silvia Massimini Felix. São Paulo: Unesp, 2016.

LEFEVERE, A. Tradução, reescrita e manipulação da fama literária. Trad. Claudia Matos Seligmann. Bauru: Edusc, 2007.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Maciera, A. C., & Wataghin, L. (2020). Da Europa à América: os itinerários das primeiras obras de Primo Levi publicadas no Brasil. Revista De Italianística, (41), 98-111. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i41p98-111

Edição

Seção

Artigos