Leonardo Sciascia e a verdade impronunciável

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i41p69-83

Palavras-chave:

Sicília, Máfia, Omertà

Resumo

O presente artigo investiga as considerações do escritor siciliano Leonardo Sciascia a respeito da omertà, a “lei do silêncio”. A prática está, em sua origem, ligada ao modus operandi da malavita meridionale, embora também seja considerada um hábito cultural da sociedade siciliana. Encontramos críticas à omertà tanto em ensaios quanto em alguns romances do autor, como Il giorno della civetta (1961), A ciascuno il suo (1967) e Il contesto (1971). Estas menções podem indicar que essa prática foi uma importante preocupação de Sciascia, embora tenha sido escassamente abordada em estudos sobre a sua obra. Acredita-se que o fato de o intelectual ser lembrado como o primeiro a abordar a máfia na literatura, de maneira não folclórica, associado à ausência de qualquer menção à palavra omertà nos romances citados, acabou por desviar o foco do silêncio vinculado à máfia, presente sutilmente em suas obras. Para Sciascia, a prática da omertà, além de garantir a impunidade da máfia, colocava o siciliano na incômoda posição de protetor dos mafiosos. Sendo assim, consideramos ser o silêncio sobre a máfia (e não o silêncio da máfia) a maior acusação feita pelo escritor à sociedade siciliana.

 

Biografia do Autor

Gisele Maria Nascimento Palmieri, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em Letras Neolatinas (Literatura Italiana) na UFRJ.

Referências

BALDWIN, T. Leonardo Sciascia: l’uomo il citadino e lo scrittore. Lo Stato delle Cose: Pensiero Critico & Scritture, set-ott 1998.

BARNI, R.; BONA, F. Em busca de um ethos siciliano. Itinerários, n. 43, p. 155-176, 2016.

FRANCESE, J. Leonardo Sciascia e la funzione sociale degli intellettuali. Firenze: Firenze University Press, 2012.

FRANCHETTI, L. Condizioni politiche e amministrative della Sicilia. Firenze: Tipografia di G. Barbèra, 1877.

LAMPEDUSA, G. T. O Gattopardo. Trad. Marina Colasanti. Rio de Janeiro: Record, 2007.

LORUSSO, P. Il ritorno al Sud di Saviano. La Stampa, 18 set. 2010. Disponível em: <http://www1.lastampa.it/redazione/cmsSezioni/cronache/201007articoli/56828girata.asp>. Acesso em: 22 ago 2020.

LUPO, S. História da máfia: as origens aos nossos dias. Trad. Álvaro Lorencini. São Paulo: Editora Unesp, 2002.

PITRÈ, G. Opere complete. Roma: Soc. Editrice del Libro Italiano, 1940.

PULEIO, B. I sentieri di Sciascia. Palermo: Kalós, 2003.

PUZO, M. Omertà. Trad. Sylvio Gonçalves. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SCIASCIA, L. La Sicilia come metafora. Milano: Mondadori, 1979.

SCIASCIA, L. A ciascuno il suo. Milano: Adelphi, 1988.

SCIASCIA, L. Il giorno della civetta. Milano: Adelphi, 1993.

SCIASCIA, L. Il contesto. Milano: Adelphi, 1994.

SCIASCIA, L. La mafia. In: ___. Pirandello e la Sicilia. Milano: Adelphi, 1996. p. 191-211.

SCIASCIA, L. Sicilia e sicilitudine. In: ___. La corda pazza: scrittori e cose della Sicilia. Milano: Adelphi, 2016.

SCIASCIA, L. A futura memoria: se la memoria ha un futuro. Milano: Adelphi, 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Palmieri, G. M. N. (2020). Leonardo Sciascia e a verdade impronunciável . Revista De Italianística, (41), 69-83. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i41p69-83

Edição

Seção

Artigos