Dante Alighieri e Lima Barreto: possibilidades de intersecções e diálogos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i43p80-98

Palavras-chave:

Limbo, Diálogos, Lima Barreto, Dante Alighieri

Resumo

A proposição deste artigo é a de abordar o Limbo como conceito que remete às noções de suspensão, exceção, inclusão e exclusão. Tal abordagem tem por objetivo o diálogo desse conceito e suas implicações com a obra de Lima Barreto, por este descrever, em livros como O Cemitério dos Vivos e Diário Íntimo, fatos presenciados no hospital de alienados, onde o autor esteve internado por duas vezes ao longo de sua breve vida. Seguindo com a percepção de afinidades entre Dante Alighieri e Lima Barreto, para o desenvolvimento desta pesquisa, acreditamos ser o pensamento dialético o ponto que mais os aproxima, e, portanto, o motivo para aprofundarmos as nossas reflexões. A dialética na literatura, segundo nosso ponto de vista, pode se concretizar pela abordagem de temas que aludem ao coletivo. Neste sentido, os dois escritores, cada qual no seu tempo, se mostram singulares ao se expressarem imbuídos de criticidade. Cada qual expressando conceitos como inclusão e exclusão de acordo com suas percepções da realidade e do mundo no qual viviam, fazendo de suas vidas matéria para suas produções literárias. Autores como Giorgio Agamben, Walter Benjamin, Raul Antelo, Natalino Sapegno e Michel Foucault são alguns dos pesquisadores que nos auxiliam na construção teórica que embasa a análise aqui apresentada.

Referências

AGAMBEN, G. Bartebly, ou da contingência. Tradução de Vinicius Honesko. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

AGAMBEN, G. Nudez. Tradução de Miguel Serras Pereira. Lisboa: Relógio d’Água Editores, 2010.

AGAMBEN, G. O que é contemporâneo? e outros ensaios. Tradução de Vinicios Nicastro Honesko. Chapecó, SC: Argos, 2009.

AGAMBEN, G. Signatura Rerum: sul metodo. Torino: Bollati Boringhieri, 2008.

AGAMBEN, G. Estâncias: a palavra e o fantasma na cultura ocidental. Tradução de Selvino José Assmann. Bello Horizonte: Editora UFMG, 2007.

AGAMBEN, G. Profanações. Tradução de Selvino José Assman. São Paulo: Boitempo, 2007.

AGAMBEN, G. Ideia de Prosa. Tradução de João Barrento. Lisboa: Cotovia, 1999.

ALIGHIERI, D. Divina Comédia. Tradução de Ítalo Eugenio Mauro. São Paulo: Ed. 34, 2005.

ALIGHIERI, D. Tutte le Opere - Commenti a cura di Giovanni Fallani, Nicola Maggi e Silvio Zennaro. Roma: Newton e Compton Editori, 1993.

ANTELO, R. H. Lindes, limites, limiares. Boletim de Pesquisa – NELIC - Edição Especial Lindes (2008, p. 04-27).

BAPTISTA, M. A profanação dos dispositivos em Giorgio Agamben. Revista Estação Literária - Londrina, Volume 13, p. 10-23, jan. 2015.

BARRETO, A. H. de L. Diário do hospício; O cemitério dos vivos. Prefácio de Alfredo Bosi. Organização e notas de Augusto Massi e Murilo Marcondes de Moura. – 1ª ed. - São Paulo. Companhia das Letras, 2017.

BARRETO, A. H. de L. Contos completos de Lima Barreto. Organização e introdução de Lilia Moritz Schwarcz. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

BARRETO, A. H. de L. Triste fim de Policarpo Quaresma. 23. ed. São Paulo: Ática, 2002.

BARRETO, A. H. de L. Diário Íntimo. São Paulo - Rio de Janeiro: Editora Mérito S.A, 1953.

BENJAMIN W. A origem do drama barroco alemão. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Editora Brasiliense, 1984.

BIBLIA SAGRADA. Tradução de Domingos Zamagna et. al. Petrópolis: Editora Vozes. 1993.

BORGES, J. L. Nove Ensaios Dantescos. In: Obras Completas. São Paulo: Globo, 2000.

BOSI, A. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Cultrix, Ed. da Universidade de São Paulo, 1977.

CACCIARI, M. Nomes de lugar: confim. Revista de Letras, São Paulo, 45 (1), 2005.

DANTAS, M. H. de M. Melancolia e criação literária: veredas psicanalíticas em Guimarães Rosa. Dissertação de Mestrado. João Pessoa: UFPB, 2017.

CAMPOS, Haroldo de. Dante e a poesia de Vanguarda. In: BIZZARRI, Edoardo. (Org.). O meu Dante: contribuições e depoimentos. São Paulo: Instituto Cultural Ítalo-brasileiro. 1965. pp. 85-102

DELEUZE, G. & GUATTARI, F. Mil Platôs – Capitalismo e Esquizofrenia. Vol. 1. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. São Paulo: Editora 34, 1995.

FOUCAULT, M. Doença Mental e Psicologia. Rio de Janeiro (RJ): Biblioteca Tempo Brasileiro; 1996.

FOUCAULT, M. História da loucura na Idade Clássica. Tradução de José Teixeira Coelho Netto. São Paulo: Perspectiva, 1995.

GASPARI, S. de. Giorgio Agamben e Dante Alighieri – reflexões teóricas possíveis. Revista Anuário de Literatura. Florianópolis, v. 22, n. 2. UFSC, 2017.pp. 09-11.

GASPARI, S. de. A linguagem como instrumento político e teológico em Dante Alighieri. In. Dante Alighieri: língua, imagem e tradução. São Paulo: Rafael Copetti, Editor, 2015.pp. 11-17.

GILSON, E. A filosofia na Idade Média. Tradução de Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

HIDALGO, L. Lima Barreto e a literatura da urgência: a escrita do extremo no domínio da loucura. Tese de Doutorado em Literatura Comparada apresentada à Coordenação dos Cursos de Pós-Graduação em Letras da Uerj. Rio de Janeiro, 2007.

KISTEMAKER, S. J. Apocalipse. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2004.

LE GOFF, J. Os Intelectuais na Idade Média.São Paulo: Editora Brasiliense, 1993.

MACHADO, Roberto. Introdução. In. FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 7ª ed. – Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2018.

MAURO, Ítalo Eugênio. Tradução e notas. In.: ALIGHIERI, Dante. Divina Comédia. São Paulo: Ed. 34, 2005. PAGLIARO, A. U. Ricerche Semantiche sulla Divina Commedia. Messina-Firenze: G. D’Anna, 1967, vols. I - II.

PETERLE, P. Inoperosidades: Giorgio Agamben, Antonio Delfini e Giorgio Caproni. In. Revista Diálogos Mediterrânicos. N. 14- Junho/2018- Disponível em: https://www.dialogosmediterranicos.com.br/index.php/RevistaDM/article/view/314/322.

RIBEIRO, D. C. Ciência, caridade e redes de sociabilidade: o Hospício de Pedro II em outras perspectivas. História, Ciências, Saúde, Rio de Janeiro, v.23, n.4, out-dez. 2016, PP. 1153-1167.

PRADO, Antonio Arnoni. Lima Barreto: o crítico e a crise. Rio de Janeiro, Cátedra. Brasília: INL, 1976.

RUBIM, A. A. C. e ROHDE, B. F. (Orgs.). Políticas Culturais na Bahia: Governo Jaques Wagner – 2007. Salvador, Edufba, 2008.

SAPEGNO, N. Compendi e Storia della Letteratura Italiana. Nuova Italia: 1986, Vol. I.

SAPEGNO, N. In: La Divina Commedia. Firenze: La Nuova Italia Editrice, 1967.

SCHIPANSKI, C. E. História Medieval: releitura de uma época. Guarapuava: Editora da Unicentro, 2009.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

Possamai, J. M. B. ., & Gaspari, S. de. (2021). Dante Alighieri e Lima Barreto: possibilidades de intersecções e diálogos . Revista De Italianística, (43), 80-98. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i43p80-98

Edição

Seção

Artigos