Para onde nos conduz a viagem de Dante?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i43p23-35

Palavras-chave:

Dante Alighieri, Viagem, Diálogo, Livre-arbítrio, Indivíduo

Resumo

A Itália e sua língua nacional devem muito ao ato revolucionário de um poeta que se atreveu a romper as barreiras do mundo conhecido e adentrar, em primeira pessoa, nos mistérios da outra vida, aquele “al di là” esperado, desconhecido e temido, partindo da tradição (Virgilio) para chegar à “vida nova”, onde a matéria se faz luz. Em sua jornada, o poeta peregrino passa pelo Inferno, onde antigas criaturas monstruosas e ferozes punem as paixões e as ilusões de soberba, posse, avidez; pelo Purgatório, o mundo do meio que é também meio de libertação das ilusões, reino em que a melancolia se irmana à esperança; ao final dele, o poeta alcança o Paraíso terrestre, pois seu arbítrio já é “libero, dritto e sano” e lhe permite ascender ao Paraíso, o reino em que oben dell’intelletto” e a contemplação aliam-se à crescente lucidez, em que a comunhão com o divino se torna real. Ao final de sua busca o “ser com Deus” faz com que o desejo humano seja preenchido de divindade (“ma già volgeva il mio disio e il velle, / sì come rota ch’igualmente è mossa, / l’Amor che move il sole e l’altre stelle”). Ao chegar ao “ponto final”, Dante parece esclarecer as dúvidas e temores dos homens de seu tempo, sigilando finalmente as portas do mundo antigo e suas formas de representação, para nos conduzir ao mundo moderno, ao Humanismo, o tempo em que o indivíduo está em contato com a natureza, com a história e o poeta em diálogo constante com sua obra e seu leitor.

Referências

AGUIAR, F. Visões do inferno ou o retorno da aura. In: NOVAES, A. O olhar. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

ALIGHIERI, D. La Divina Commedia. (organização, introdução, notas e comentários de Anna Maria Chiavacci Leonardi). Bologna: Zanichelli, 2010.

ALIGHIERI, D. A Monarquia. Trad. Introdução e notas de Hernâni Donato. São Paulo: Ícone, 2006.

ARIÈS, P. História da morte no Ocidente. Da Idade Média aos nossos dias. Trad. Priscila Viana de Siqueira. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003 [primeira edição no original francês: 1975].

ASOR ROSA, A. La fondazione del laico. In: Genus Italicum. Saggi sulla identità letteraria italiana nel corso del tempo. Torino: Einaudi, 1997, p. 33 a142.

BARBERO, Alessandro. Dante (Italian Edition) (p. 128). Bari-Roma: Editori Laterza, Edizione digitale (Kindle): settembre 2020.

CAVALLARI, D.N. Autor ou autoridade: Dante e a narrativa como superação. In: Revista In arte. São Paulo: Colégio Dante Alighieri, 2015. Disponível em: https://www.colegiodante.com.br/wp-content/uploads/2015/11/InArte2015.pdf. Acesso em: 18/10/2021.

CURTIUS, E.R. Literatura Europeia e Idade Média Latina. Trad. Paulo Rónai e Teodoro Cabral. São Paulo: Edusp, 1996. [edição de referência em alemão: 1984, primeira edição : 1948].

DE SANCTIS, F. Saggi e lezioni su Dante. Torino, Einaudi, 1955.

HUYGHE, R. O poder da imagem. Trad. Helena L. Santos. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

KELSEN, H. A teoria do Estado de Dante Alighieri. Trad. Luiz Felipe B. Osório. SãoPaulo: Editora Contracorrente, 2021.

LE GOFF, J. & SCHMITT, J-C. Dicionário temático do ocidente medieval. Vol II. Bauru, SP: EDUSC; São Paulo, SP: Imprensa Oficial do Estado, 2002. (verbete Morte e mortos, por Michel Lauwers, p. 243-261)

VILLELA, Felipe Stiebler Leite, “O caminho da nossa vida, uma aproximação entre Ser e tempo e Divina comédia”. Mestrado em Filosofia, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 136 f., 2010. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/handle/handle/11835. Acesso em: 4/4/2019.

VIVAI BARTOLINI SALIMBENI, C. Memórias de mercadores na Florença comunal do século XIV: os Livros de Família e as “Ricordanze” de Leonardo di Bartolino Salimbeni. Tese (Doutorado em Letras, Língua, Literatura e Cultura Italianas) Universidade de São Paulo, São Paulo, 428 f., 2020. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8148/tde-19022021-165849/pt-br.php. Acesso em: 08/10/2021.

Dante, Shakespeare e Marco Polo: dividere il mondo in buoni e cattivi. In: Corriere della sera, 28/03/2021. Tradução /adaptação do texto de Arno Widmann. Disponível em: https://www.corriere.it/esteri/21_marzo_28/dante-shakespeare-marco-polo-dividere-mondo-buoni-cattivi-f90ff5a8-8fef-11eb-bb16-68ed0eb2a8f6.shtml. Acesso em: 1/10/2021.

Articolo su Dante di Arno Widmann: Errori di traduzione del Corriere della Sera. Disponível em: http://www.attomelani.net/index.php/2021/03/30/articolo-widmann-errori-traduzione-corriere-della-sera/. Acesso em: 15/08/2021.

Downloads

Publicado

2021-12-31

Como Citar

Cavallari, D. N. (2021). Para onde nos conduz a viagem de Dante?. Revista De Italianística, (43), 23-35. https://doi.org/10.11606/issn.2238-8281.i43p23-35

Edição

Seção

Artigos