[1]
J. M. Terenzi, “Uma imersão no infinito a partir de um caminhante: Sergio Givone lê Caspar David Friedrich”, Rev. Ital. (Online), nº 41, p. 112-117, dez. 2020.