Emoção e experiência corporal na trajetória da conversão: um estudo de caso

  • Lívia Fialho Costa
  • Christine Jacquet
Palavras-chave: Corpo, Emoção, Religião, Gênero, Família

Resumo

O texto tem por objetivo discutir a articulação existente entre doença, corpo e emoções nas narrativas de cura religiosa. Partimos de casos concretos de mulheres convertidas ao neopentecostalismo que contam ter encontrado nos ritos e rituais religiosos uma alternativa para lidar com sofrimentos e aflições pessoais e/ou familiares. As histórias de conversão relatam uma vida caracterizada por um sentimento de desvalorização de si e a conversão ocorre durante um episódio de crise ou de uma experiência extraordinária que quebra o curso normal da trajetória de vida. As convertidas são quase unânimes em afirmar que a conversão foi resultado da busca de uma solução para uma doença; no entanto, a doença relatada pelas fiéis não é senão um quadro genérico no interior do qual são organizadas evidências que visam deslocar a atenção daqueles que as escutam para o caráter eficaz dos rituais religiosos. A motivação inicial da conversão não estava assim ligada unicamente à doença, mas a um conjunto de situações problemáticas.

Referências

Le Breton D. Anthropologie du corps etmodernité. Paris: PUF; 1990.

Schimitt JC. Les corps, les rites, les rêves, letemps: essais d’anthropologie médiévale. Paris: Gallimard; 2001.

Birman P. Cultos de possessão e pentecostalismo no Brasil: passagens. Relig Soc. 1996;17:90-109.

Geertz C. Bali: interprétation d’une culture. Paris: Gallimard; 1983.

Pace E. Religião e globalização. In: Oro AP, Steil CA, organizadores. Globalização e religião. Rio de Janeiro: Vozes; 1999. p. 25-42.

Lutz C. The domain of emotion words on Ifaluk. Am Ethnol. 1982;9(1):113-28.

Crapanzano V. Réflexions sur une anthropologiedes émotions. Terrain (Paris). 1994;22:109-17.

Abu-Lughod L, Lutz C. Language and the politics of emotions. Cambridge: Cambridge University Press; 1990. p. 108-15, apud V. Crapanzano (Vincent Crapanzano, Réflexionssur une anthropologie des émotions. Terrain(Paris). 1994;22:109-17)

Mauss M. L’expression obligatoire dessentiments (rituels oraux funéraires australiens).Paris: Minuit; 1969.

Durkheim E. Les formes élémentaires de la viereligieuse. Paris: PUF; 1968.

Levy R, Rosaldo M, editores. Ethos.1983;11(3):128-34.

Levy R. Tahitian: mind and experience in the society of islands. Chicago: University of Chicago Press; 1973.

Rosaldo M. Knowledge and passion: ilongotnotions of self and social life. Cambridge: Cambridge University Press; 1980.

Publicado
2006-12-01
Seção
Pesquisa Original