Juventude interativa: cidadania contra o racismo

Autores

  • Rosangela Malachias

DOI:

https://doi.org/10.7322/jhgd.39429

Palavras-chave:

Juventude negra, Multiplicadores de cidadania, Prevenção, Vulnerabilidade.

Resumo

A discriminação racial vigente na sociedade influencia a construção das identidades jovem e étnica, afetando ainda as relações de género. Na chamada sociedade global, percebese o aumento dos conflitos sociais, marcados principalmente pela desigualdade das oportunidades. Somente através da percepção das diferenças é que se pode construir a igualdade. O objetivo do presente artigo é tratar os temas Sexualidade e Drogas, concomitantemente a um terceiro tema, a Cidadania, através da tomada de consciência dos direitos e deveres individuais que afetam a coletividade. O público-alvo foram alunos dos Cursos Pré-Vestibulares direcionados à população de baixa renda, prioritariamente negra, interessada em estudar na USP. Foram selecionanados os alunos de ambos os sexos interessados em participar do Projeto JUVENTUDE lNTERA 71 VA. Eles atuaram como agentes multiplicadores de informação junto a outros jovens que terão a chance de vir a conhecer o Projeto. O núcleo temático das aulas, oficinas e produção de textos priorizou a construção positiva das identidades jovem e étnica, calcada no conhecimento da cosmovisão africana sobre a sexualidade, o corpo, a fertilidade, além das noções básicas sobre saúde, beleza, autoestima, prazer, equilíbrio fisico e mental.

Biografia do Autor

Rosangela Malachias

Jornalista, doutoranda em Comunicação na ECA/USP, professora assistente da FATEC/SP e bolsista do Programa de População da Fundação Ma^cArth^ur(^ls9^7^-^ls99)

Referências

Ayres JRCM. Educação preventiva e vulnerabilidade às DST/AIDS e abuso de drogas entre escolares. como avaliar a intervenção. São Paulo, FDE, 1996. [Caderno Idéias, 29: Papel da educação na ação preventiva ao abuso das DST AIDS].

Barbosa Ml. Racismo na saúde. São Paulo, 1998. [Tese de Doutorado - Faculdade de Saúde Pública da USP].

Biko S. Escrevo o que eu quero. São Paulo, Atica, 1990. (trad. Grupo Solidário São Domingos) (apres. da edição brasileira: Beneditada Silva).

Cone J. Malcolm X et Martin Luther King. LesefJèts d’une collère noire. Genève, Labor et Fides,1991.

Fals Borda O. Aspectos teóricos da pesquisa participante: considerações sobre o significado e o papel da ciência na participação popular. In: Brandao CP. Pesquisa participante. São Paulo, Brasiliense, 1988.

Lopes HT. Educação e identidade. Cadernos de Pesquisa Fundação Carlos Chagas, 63 nov.1987. (N. temático: Raça Negra e Educação, Fund. Carlos Chagas, São Paulo).

Madeira FR. Por que o jovem na Grande São Paulo? São Paulo, Fundação Seade - Sistema Estadual de Análise de Dados, 1988. (Coleção Realidade Paulista: O jovem na Grande São Paulo).

Malachias R. Um olhar social e racial da sociedade. Imã, 3, maio junho 1994. (Jornal dos Alunos do Prolam - Programa de Pós-Graduação em integração na América Latina da Universidade de São Paulo).

Malachias R. Ação transcultural: a visibilidade da juventude negra nos bailes black de São Paulo (Brasil) e Havana (Cuba). São Paulo, 1996. [Dissertação de Mestrado - Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina da Universidade de São Paulo].

Moreno Fraginals M. Aportes culturalesy. In: África en América Latina, México, UNESCO-SIGLO XXI, p.13-33, 1977.

Munanga K. Negritude - usos e sentidos. São Paulo, Ed. Ática, 1986.

Piza E, Rosemberg E. Cor nos censos brasileiros. São Paulo, NEEGRI, no prelo. (Núcleo de Estudos sobre Educação, Gênero, Raça e Idade do Programa de Estudos Pós-Graduados da PUC/ SP - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo,1995).

RAP... pensando a educação. Caderno da Secretaria Municipal da Educação, São Paulo, PMSP,1992.

Roland E. Gênero e raça e a promoção da igualdade. Brasília, Programa Nacional de Direitos Humanos, 1999.

Santos M. O preconceito. São Paulo, Imprensa Oficial do Estado, 1996/1997.

ServiaTP. El problema negro en Cuba y su solución definitiva. La Habana, Ed. Política,1986.

Silva CBP. Da Terra das Primaveras à Ilhado Amor: reggae, lazer e identidade cultural. São Luís do Maranhão, Edufma, 1995.

Souza NS. Tornar-se negro ou as vicissitudes da identidade do negro em ascensão social. Rio de Janeiro, Ed. Graal, 1983.

Spósito MP. A sociabilidade juvenil e a rua: novos conflitos e ação coletiva na cidade. Tempo Social, 5(1,2): 161 -178,1993. (editado em 1994) (Revista de Sociologia da USP, São Paulo).

Teodoro ML. Identidade, cultura e educação. Cadernos de Pesquisa da Fundação Carlos Chagas, 63, nov. 1987. (N. Especial: Raça Negra e Educação, São Paulo, Fund. Carlos Chagas).

UNESCO. La jeunesse dans les annés 80. Paris, Les Presses de l’Unesco, 1981.

Zaluar A. A máquina e a revolta. São Paulo, Brasiliense, 1985.

Downloads

Publicado

1999-10-04

Edição

Seção

Relato de Experiencia