Infância e adolescência de executivos negros: um estudo retrospectivo

  • Ivo de Santana
  • Climene Laura de Camargo
Palavras-chave: Racismo, Criança e trabalho, Família.

Resumo

Este artigo aborda situações vivenciadas na infância e adolescência por executivos negros de organizações bancárias com sede em Salvador (BA). Busca-se as intercorrências desse periodo de vida relacionadas à trajetória de ascensão social dos executivos estudados. Na apreensão da realidade desses sujeitos, utilizou-se o método de estudo de caso e a técnica de história de vida. O resultado da pesquisa revela que todos esses executivos vivenciarain infâncias e adolescência em familias de baixa renda, onde seus pais foram os principais incentivadores na busca da ascensão social, via qualificação educacional. A discriminação racial destacou-se como o mais vigoroso obstáculo na carreira, sendo enfrentada com estratégias individuais e específicas, norteadas pela “busca de ser o melhor, para ser aceito como igual”. O estudo demonstra a forma desigual com que os negros se inserem no processo de ascensão social e a pequena quantidade destes indivíduos, que consegue atingir postos expoentes nas organizações. Uma trajetória marcada pela adoção de comportamentos que os distanciam do seu referencial étnico, onde vão eliminando propositadamente de suas vidas os valores culturais negros, elegendo o branco como modelo de identidade.

Biografia do Autor

Ivo de Santana
Mestrando em Administração de Empresas e Comércio Exterior pela Universidad de Extremadura
Climene Laura de Camargo
Doutora em Saúde Pública pela Faculdade de Saude Pública - USP, Professora da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia

Referências

Bento MAS. Discriminação racial e resistência na voz de trabalhadores negros. Rio de Janeiro, 1992. [Dissertação de Mestrado - Psicologia Social da Pontifica Universidade Católica do Rio de Janeiro]

Bruschini MC. A Mulher e família: Cotidiano nas camadas médias paulistanas. São Paulo, Fundação Carlos Chagas/Ed. Revista,1990.

Clastres P. A Sociedade contra o Estado: pesquisa de antropologia Politica. Rio de Janeiro; Ed. Francisco Alves, 1986.

Cury CRJ. Educação e contradição: elementos metodológicos para uma teoria critica do fenômeno educativo. São Paulo; Ed. Cortez,1985.

Haguette TMF. Metodologia qualitativa na sociologia. Petrópolis Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 1995.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento. São Paulo, Hucitec, 1992.

Moura C. O negro: de bom escravo a mau cidadão. Rio de Janeiro, Ed. Conquista, 1977.

Moura C. Os negros e o sistema educacional brasileiro. Jornal Banta-Nagô, Salvador: 1995; 1(3):02-04.

Pierson D. Brancas e pretos na Bahia. São Paulo, Ed. Nacional, 1945.

Prado D. Oue é família? São Paulo, Brasiliense, 1981.

Santos M, Entrevista. Folha de São Paulo, Caderno Especial, São Paulo, 25 de jun. 1995.p.8.

Souza NS. Tornar-se negra, as vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro, Ed. Graal;1983.

Publicado
1999-10-04
Seção
Original/Atualização