Relações entre ciência, literatura e mundo da vida social: a problemática do progresso técnico a partir de algumas noções iniciais de Jürgen Habermas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2447-2158.i10p204-215

Palavras-chave:

História da Ciência, Progresso técnico e científico, Jürgen Habermas, Literatura, Modernidade

Resumo

Este texto faz uma breve leitura crítica do artigo Progresso técnico e mundo da vida social (1965) de Jürgen Habermas, buscando explicitar as ideias do autor acerca dos limites existentes entre os conceitos “ciência” e “literatura”, dentro do processo de construção de sua tese sobre a racionalidade comunicativa [kommunikative Vernunft], com o objetivo de fazer refletir algumas de suas ideias de modo a colaborar com as discussões dos problemas caros à historiografia da ciência e, mais amplamente, aos estudos sociais de ciência e tecnologia na contemporaneidade. O texto examina, também de forma breve, as principais referências utilizadas por Habermas em seu ensaio para tratar da cisão das chamadas ciências empírico-analíticas e das ciências histórico-hermenêuticas, principalmente ao longo da segunda metade do século XX.

Palavras-chave: História da Ciência, Progresso técnico e científico, Jürgen Habermas, Literatura, Modernidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raiany Oliveira, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas. Departamento de História

Programa de Pós-Graduação em História Social (DH-FFLCH-USP)

Referências

HABERMAS, Jürgen. Technischer Fortschritt und soziale Lebenswelt. Praxis, Zagreb, v. 2, n. 1/2, pp. 217-228, 1966; HABERMAS, Jürgen. Strukturwandel der Öffentlichkeit: Untersuchungen zu einer Kategorie der bürgerlichen Gesellschaft. Neuwied, Berlin: Luchterhand, 1962; HABERMAS, Jürgen. Theorie und Praxis. Sozialphilosophische Studien. Neuwied, Berlin: Luchterhand, 1963; HABERMAS, Jürgen. Theorie des kommunikativen Handelns. Frankfurt: M. Suhrkamp, 1981.

HABERMAS, Jürgen. Técnica e ciência como “ideologia”. São Paulo: Editora Unesp, 2014, p. 132-149.

HUXLEY, Aldous. Literature and science. Nova York: Harper & Row, 1963. Outros autores escreveram e se posicionaram no seio dessa controvérsia naquele período, como Charles Raven, John Harold Plumb, Lionel Trilling, Martin Green, Robert Oppenheimer etc.

LATOUR, Bruno. Cogitamus: seis cartas sobre as humanidades científicas. São Paulo: Editora 34, 2016.

LUBENOW, Jorge Adriano. Esfera pública e democracia deliberativa em Habermas: modelo teórico e discursos críticos. Kriterion, Belo Horizonte , v. 51, n. 121, p. 227-258, June 2010 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2010000100012&lng=en&nrm=iso>. access on 07 June 2020. https://doi.org/10.1590/S0100-512X2010000100012.

ORTOLANO, Guy. The two cultures controversy: science, literature, and cultural politics in post-war Britain. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

RIBEIRO, Renato Janine. O Brasil voltou cinquenta anos em três. In: GEISELBERGER, Heinrich (org.). A grande regressão: um debate internacional sobre os novos populismos – e como enfrentá-los. São Paulo: Estação Liberdade, 2019, pp. 316-317.

SNOW, Charles Percy. The two cultures. Cambridge: Cambridge University Press, 1998, pp. 16-17.

STEVENS, Robert. University to uni: the politics of higher education in England since 1944. Londres: Politico’s Publishing, 2004.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

Oliveira, R. (2020). Relações entre ciência, literatura e mundo da vida social: a problemática do progresso técnico a partir de algumas noções iniciais de Jürgen Habermas. Khronos, (10), 204-215. https://doi.org/10.11606/issn.2447-2158.i10p204-215

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)