“Matar um homem não é defender uma doutrina, é matar um homem”: notas sobre a estratégia argumentativa de Sébastien Castellion no caso Miguel Servet

Autores

  • Leandro Thomaz de Almeida Universidade de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v17i1p97-108

Palavras-chave:

Sébastien Castellion, João Calvino, tolerância religiosa

Resumo

Os escritos de Sébastien Castellion tomam como motivo principal a condenação à morte de Miguel Servet, em Genebra, em 1553. Seus argumentos se voltam principalmente contra a punição do chamado herege com a pena capital e, consequentemente, contra João Calvino, reformador que teve importante atuação na sentença condenatória do médico espanhol. O presente artigo expõe a argumentação presente em alguns livros de Castellion, considerado um dos inauguradores da ideia de tolerância religiosa e liberdade de expressão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-08-02

Como Citar

Almeida, L. T. de. (2016). “Matar um homem não é defender uma doutrina, é matar um homem”: notas sobre a estratégia argumentativa de Sébastien Castellion no caso Miguel Servet. Letras Clássicas, 17(1), 97-108. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v17i1p97-108

Edição

Seção

Artigos