Uma <em>ars poetica</em> ovidiana: metapoesia e ilusionismos na <em>Ars amatoria</em>

Autores

  • Matheus Trevizam Universidade Federal de Minas Gerais
  • Júlia Batista Castilho de Avellar Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v17i2p115-133

Palavras-chave:

Ars amatoria, Ovídio, elegia, ilusão, metaliteratura

Resumo

Neste artigo, depois da inclusão da Arte de amar de Ovídio na antiga tipologia da poesia didática, buscamos demonstrar que esse poema não deve ser considerado estritamente um exemplo de verdadeira pedagogia amorosa. Elementos “estranhos” como as mentiras, mutuamente recomendadas a homens e mulheres como parte de suas estratégias de sedução; as traições que devem enfrentar ao depararem o magister amoris; e as ironias a que podem submeter-se como alunos fazem-nos considerar o texto como um exercício metaliterário sobre a arte da elegia erótica romana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-08-02

Como Citar

Trevizam, M., & Avellar, J. B. C. de. (2016). Uma <em>ars poetica</em> ovidiana: metapoesia e ilusionismos na <em>Ars amatoria</em>. Letras Clássicas, 17(2), 115-133. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v17i2p115-133

Edição

Seção

Artigos