O escudo de Aníbal: <em>Punica</em> 2.395–456

Autores

  • Cynthia Helena Dibbern Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v18i1p127-137

Palavras-chave:

Sílio Itálico, Punica, écfrase, escudo, Aníbal

Resumo

O estudo analisa a écfrase do escudo de Aníbal, situada no livro dois da epopeia Punica de Sílio Itálico. Ao contemplar as imagens gravadas na arma, Aníbal reconhece-se como o ultor conclamado por Dido. Entretanto, aos olhos do leitor romano, alguns elementos descritos podem ser interpretados ambiguamente como proféticos da derrota cartaginesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-08-02

Como Citar

Dibbern, C. H. (2014). O escudo de Aníbal: <em>Punica</em> 2.395–456. Letras Clássicas, 18(1), 127-137. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v18i1p127-137

Edição

Seção

Artigos