Platão e Parmênides: notas sobre o “parricídio”

Autores

  • Eliane Christina de Souza Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i2p27-38

Palavras-chave:

Platão, Parmênides, discurso, ontologia

Resumo

O “parricídio” que Platão apresenta no Sofista não pretende ser uma negação completa da ontologia de Parmênides, mas a crítica do princípio de não-contradição postulado por Parmênides em seu Poema, que interdita a união entre ser e não-ser. Após a exposição das dificuldades discursivas a que esta interdição conduz, Platão admite uma ontologia que associa ser e não-ser do mesmo modo como eles estão associados no plano discursivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1998-10-12

Como Citar

Souza, E. C. de. (1998). Platão e Parmênides: notas sobre o “parricídio”. Letras Clássicas, (2), 27-38. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i2p27-38

Edição

Seção

Artigos