Arte dialógica e epistolar segundo as Epístolas morais a Lucílio

Autores

  • Marcos Martinho dos Santos Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i3p45-93

Palavras-chave:

diálogo, epístola, discurso filosófico, ofício de ensinar, arte dialógica, dissimulação da arte

Resumo

Trata-se de reunir os preceitos referentes ao discurso filosófico que Sêneca enuncia nas Epístolas. Primeiro, os preceitos do gênero dialógico (sermo ou diálogos), de que a epistula é uma das espécies. Depois, os preceitos do ofício de ensinar, próprio do filósofo, que se opõe, então, ao poeta, a quem cabe deleitar, e ao orador, a quem cabe comover. Enfim, os preceitos da arte dialógica ou epistolar segundo os quais a matéria filosófica deve ser grandiosa, e a elocução, negligenciada. Tal negligência, porém, é mesmo diligência para o filósofo, ou melhor, é efeito, e não defeito da elaboração do discurso. A arte dialógica revela-se, então, uma arte de dissimular a arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1999-10-13

Como Citar

Santos, M. M. dos. (1999). Arte dialógica e epistolar segundo as Epístolas morais a Lucílio. Letras Clássicas, (3), 45-93. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i3p45-93

Edição

Seção

Artigos