Ser ateniense: uma honra em risco? – O testemunho de 'Acarnenses' de Aristófanes

Autores

  • Maria de Fátima Souza e Silva Universidade de Coimbra

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i7p35-48

Palavras-chave:

Aristófanes, Acarnenses, democracia, política

Resumo

Ao converter-se de rústica e tradicionalista em próspera e cosmopolita, Atenas pinta a imagem de cidade bem-sucedida, que pretende impor aos seus contemporâneos, gregos e bárbaros, nos concursos dramáticos a que esses afluíam de toda parte. Embora perseguido por ter acusado a cidade, nos Babilônios, de opressiva e imperialista durante as Grandes Dionísias, Aristófanes, agora durante as Lenéias, menos concorridas que aquelas, faz nova investida, nos Acarnenses, contra a imagem da Atenas democrática, pintando um outro quadro, mais cômico, em que os cidadãos honestos são as vítimas do oportunismo dos delatores e da venalidade dos demagogos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2003-12-17

Como Citar

Silva, M. de F. S. e. (2003). Ser ateniense: uma honra em risco? – O testemunho de ’Acarnenses’ de Aristófanes. Letras Clássicas, (7), 35-48. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i7p35-48

Edição

Seção

Artigos