Os dramas na prosa onírica de Artemidoro

  • Anise de Abreu G. D’Orange Ferreira Universidade Estadual Paulista (Araraquara); Faculdade de Ciências e Letras
Palavras-chave: Artemidoro, Oneirokritika, tradução, onirocricia, encenação, hypokrisis

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma tradução ao português, com notas e comentário, e o correspondente texto grego de um pequeno excerto do livro I (Onir. 1.56.25–45), das interpretações de sonho, Oneirokritika, de Artemidoro de Daldis, baseando-me na edição de Pack (1963), e nas revisões oriundas dos estudos de Houlihan (1997a,b) e de Bowersock (1994). Trata-se de uma passagem específica e importante referente ao tema dos sonhos com tragédia, comédia, coros e hinos. À tradução principal, que serve de base ao presente estudo do texto onirocrítico, outros excertos são acrescentados no intuito de comentar a (re)configuração da ação dramática ou hypokrisis na interpretação do sonho, dentro do modelo de análise do autor, e sua relação com o verdadeiro e o falso nos planos da physis, do ethos e da tekhne, sobre o denominador comum, memória. Discutem-se, aí, a base retórica da visão onirocrítica do autor e as chaves da onirocricia associadas ao âmbito dramático.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-12-19
Como Citar
Ferreira, A. (2008). Os dramas na prosa onírica de Artemidoro. Letras Clássicas, (12), 201-221. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i12p201-221
Seção
Artigos