Erasmo, barbari, indocte docti e ciceroniani: os modelos clássicos e o ensinamento cristão

Autores

  • Elaine Cristine Sartorelli Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Fernando Gorab Leme Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i13p3-28

Palavras-chave:

Renascimento, retórica, Erasmo, antiguidade clássica, cristianismo

Resumo

O propósito deste trabalho é comentar a importância e a permanência dos autores da Antiguidade clássica na obra de um autor cristão consciente dos problemas dessa convivência, o humanista Erasmo de Rotterdam. Este, sem jamais ter abandonado a defesa dos estudos bíblicos, defendeu, por outro lado, a aquisição de um conhecimento profundo dos autores clássicos. No contexto da literatura cristã, em que palavras idealmente rudes devem ser capazes de expressar verdades sublimes, essa questão forma o pano de fundo para discussões sobre o papel da eloquência numa época em que as polêmicas religiosas lançam novas suspeitas sobre a ars, ao mesmo tempo em que a obriga a novas práticas. Esse tema perpassou toda a obra de Erasmo e foi o centro de várias das polêmicas em que se envolveu, tanto contra os barbari, que são aqueles que abrem mão da leitura das obras da antiguidade clássica, quanto contra os ciceroniani, que são aqueles que desprezam os temas cristãos para dedicar-se à literatura pagã.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-12-19

Como Citar

Sartorelli, E. C., & Leme, F. G. (2009). Erasmo, barbari, indocte docti e ciceroniani: os modelos clássicos e o ensinamento cristão. Letras Clássicas, (13), 3-28. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i13p3-28

Edição

Seção

Artigos