Dido e Lucrécia, de Virgílio a Shakespeare

Autores

  • Philip Russell Hardie University of Cambridge

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i14p92-107

Palavras-chave:

Virgílio, Ovídio, Shakespeare, Lucrécia, Dido

Resumo

Neste artigo, eu investigo as ligações entre a versão virgiliana de Dido – mulher que comete suicídio por ter perdido a castidade e que, proferindo uma maldição ao morrer, leva por fim a sua cidade de Cartago à destruição nas guerras Púnicas – e Lucrécia – mulher cujo suicídio como prova de sua inocência depois de um estupro é evento de caráter fundador na história da cidade de Roma, que acarreta a expulsão dos reis e a instauração da República. Segue-se ao estudo detalhado da narrativa virgiliana, no qual sustento que a sombra de Lucrécia paira sobre a figura de Dido, uma série de abordagens posteriores na história da associação de Dido a Lucrécia, desde os Pais da Igreja até Shakespeare.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-12-19

Como Citar

Hardie, P. R. (2010). Dido e Lucrécia, de Virgílio a Shakespeare. Letras Clássicas, (14), 92-107. https://doi.org/10.11606/issn.2358-3150.v0i14p92-107

Edição

Seção

Artigos