[1]
A. P. Pinto, “Safo, ou a beleza fragmentária”, Let. Cláss., nº 10, p. 65-88, dez. 2006.