[1]
K. H. Rosenfield, “Os caminhos ‘errantes’ de Édipo, a sacralização do saber positivo, o mistério profano”, Let. Cláss., nº 6, p. 99-116, out. 2002.