As estratégias argumentativas na ação de indenização por danos morais: o estudo de uma petição inicial

Autores

  • Ariana de Carvalho Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG
  • Mônica Santos de Souza Melo Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v29i2p195-219

Palavras-chave:

Análise do Discurso, Semiolinguística, Argumentação, Petição inicial, Dano Moral.

Resumo

Pautando na Teoria Semiolinguística, pretendeu-se a investigar o discurso desenvolvido em uma petição inicial que envolve ação de indenização por danos morais na relação de consumo, verificando como os recursos das dimensões do logos e do pathos foram empregados pelo advogado para persuadir a juíza de que o pedido de indenização é válido. Objetivou-se também averiguar quais imaginários sociodiscursivos foram expressos nesse discurso. Chegou-se à conclusão de que a noção de contrato de comunicação é muito marcante e norteadora desse discurso. Verificou-se a predominância da dimensão do logos e, ainda, uma regularidade no uso das técnicas dessa dimensão. Averiguou-se que os argumentos de ordem patêmica também tiveram grande importância na argumentação, pois estando o dano moral ligado diretamente ao abalo emocional do requerente pela violação de seus direitos, a argumentação baseada apenas no logos seria pouco consistente. Ficou claro que a voz do advogado é oriunda da coletividade com a qual compartilha valores e princípios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-12

Como Citar

Carvalho, A. de, & Melo, M. S. de S. (2016). As estratégias argumentativas na ação de indenização por danos morais: o estudo de uma petição inicial. Linha D’Água, 29(2), 195-219. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v29i2p195-219

Edição

Seção

Artigos originais