Argumentação em discursos sobre formação superior e atuação na área de Letras: análise em relatórios de estágio supervisionado

Autores

  • Gilton Sampaio de Souza Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Pau dos Ferros, RN
  • Maria Leidiana Alves Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Pau dos Ferros, RN

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v29i2p271-293

Palavras-chave:

Nova Retórica, Discurso e Argumentação, Tese, Relatórios de estágio, Formação superior em Letras.

Resumo

Partilhando do pressuposto de que a argumentação é constitutiva da linguagem, objetivamos analisar aqui as teses defendidas por autores/oradores de relatórios de estágio supervisionado, em discursos sobre formação e atuação na área de Letras de uma IES pública, considerando as teses como centrais ao processo argumentativo e as articulando às técnicas argumentativas empregadas e ao auditório a que se destinam os oradores. Os pressupostos teóricos advêm da Nova Retórica (PERELMAN e OLBRECHTS-TYTECA, 2005) e da contribuição de estudiosos da área. Nos processos argumentativos dos cinco relatórios observamos a existência de diferentes teses, ancoradas em argumentos de autoridade, superação, direção, modelo/antimodelo e da pessoa e seus atos, sob pontos de vista variados: (i) não há associação entre a prática desenvolvida pelo estagiário e a prática desenvolvida pelo professor da educação básica; (ii) é necessário articular teoria e prática no ensino de português; e (iii) o estágio fundamenta o desenvolvimento de uma metodologia inovadora para ensino. As conclusões apontam distanciamentos entre as teses sobre o ensino de Língua Portuguesa oferecido na educação superior e na educação básica, revelando argumentos às vezes antagônicos sobre a formação e a atuação nesses dois níveis de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-12

Como Citar

Souza, G. S. de, & Alves, M. L. (2016). Argumentação em discursos sobre formação superior e atuação na área de Letras: análise em relatórios de estágio supervisionado. Linha D’Água, 29(2), 271-293. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v29i2p271-293

Edição

Seção

Artigos originais