Gêneros e multimodalidade: o papel do plano de texto para o ensino da leitura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v33i2p39-68

Palavras-chave:

Plano de texto, gênero, multimodalidade, ensino, leitura

Resumo

Neste artigo, parte-se das propostas de Leal (2019) e de Gonçalves e Jorge (2019), com vista a contribuir para o ensino/ aprendizagem da leitura de textos multimodais. Para tal, articula-se a noção de plano de texto, equacionada como noção teórica e transposta como ferramenta de trabalho válida no âmbito do ensino da língua, com a de composicionalidade, evidenciando a interação entre o linguístico e as outras semioses. A articulação entre as duas noções possibilita trabalhar com textos multimodais, através de uma abordagem macro, para o nível contextual e, de uma abordagem meso/micro, para o nível configuracional. Pretende-se, com o presente contributo, melhorar as práticas de ensino/aprendizagem da leitura, em particular em textos com multiplicidade de linguagens, evidenciando como as diversas formas de interação entre o verbal e o não verbal são complexas e precisam de um trabalho faseado.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Audria Albuquerque Leal, Universidade Nova de Lisboa. Centro de Linguística
    Pesquisadora doutora do Centro de Linguística da Universidade Nova de Lisboa – CLUNL, Lisboa, Portugal; https://orcid.org/0000-0002-7190-2234; audrialeal@fcsh.unl.pt
  • Matilde Gonçalves, Universidade Nova de Lisboa. Centro de Linguística

    Doutorada pela Université Paris 8 (Études Portugaises) e pela Universidade NOVA de Lisboa (Linguística – Teoria do Texto), é professora auxiliar convidada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa e investigadora do Centro de Linguística da Universidade NOVA de Lisboa (CLUNL), no qual desenvolve trabalho no grupo Gramática & Texto | Multitext. Enquadrado na linguística do texto e do discurso, o seu trabalho centra-se nas práticas de linguagem digitais, na literacia científica e na divulgação de ciência, bem como na transposição de instrumentos linguísticos para fins específicos.

Referências

ADAM, J.-M. Plan de texte. In: CHARAUDEAU, P.; MAINGUENEAU, D. (Eds.). Diction-naire d ’analyse du discours. Paris: Seuil, 2002, p. 433-434.

ADAM, J.-M. La linguistique textuelle. Introduction à l ’analyse textuelle des discours. Paris: Armand Co-lin, 2005.

ADAM, J.-M. A linguística textual. Introdução à análise textual dos discursos. São Paulo: Cortez Editora, 2008.

ADAM, J.-M. Problèmes du texte. Pré publications, Université d’Aarhus, 2013. Disponível em: http://cc.au.dk/fileadmin/dac/Arrangementsfoto/Prepub_no_200_-_nov_2013.pdf

BARTHES, R. O Grau Zero da Escrita seguido de Elementos de Semiologia. Lisboa: Edições 70, Coleção Signos, vol. 3, 1977.

BAKHTIN, M. Esthétique de la création verbale. Paris: Gallimard.1984

BONINI, A. Os gêneros do jornal: questões de pesquisa e ensino. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. (Orgs.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro: Lu-cerna, 2006, p. 57-69.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 1998.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2017.

BRONCKART, J.-P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. Trad. Anna Raquel Machado. São Paulo: EDUC, [1997] 1999.

BRONCKART, J.-P. A atividade de linguagem frente à língua: homenagem a Ferdinand de Saussure. In: GUIMARÃES, A. M. de M.; MACHADO, A. R.; COUTINHO, A. (Eds.). O interaccionismo sociodiscursivo. Questões epistemológicas e metodológicas. Campinas: Mercado de Letras, 2008, p. 19-42.

BUESCU, H. C.; MAIA, L. C; SILVA, M. G.; ROCHA, M. R. Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário. Ministério da Educação e Ciência de Portugal, 2014. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Secundario/Documentos/Documen-tos_Disciplinas_novo/programa_metas_curriculares_portugues_secundario.pdf.

BUESCU, H. C.; MAIA, L. C; SILVA, M. G.; ROCHA, M. R. Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário. Ministério da Edu-cação e Ciência de Portugal, 2015. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Basico/Metas/Portugues/pmcpeb_julho_2015.pdf

COUTINHO, M. A. Macroestruturas e microestruturas textuais. In: DUARTE, I.; FIGUEIREDO, O. Português, língua e ensino. Porto: Porto Editorial, 2011, p. 189-220.

DIONISIO, A. Gêneros multimodais e multileramento. In: KARWOSKI, A.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. (Orgs.). Gêneros Textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006, p. 131-144. Linha D’Água (Online), São Paulo, v. 33, n. 2, p. 39-68, maio-ago. 2020

DOLZ, J.; GAGNON, R.; DECÂNDIO, F. Produção escrita e dificuldades de aprendizagem.Trad. Fábio Decândio e Ana Rachel Machado. Campinas: Mercado de Letras, 2010.

DUKE, N. K.; PEARSON, P. D. Effective practices for developing reading comprehension. In: FARSTRUP, A. E.; SAMUELS, S. J. (Orgs.). What Research Has to Say About Reading Instruc-tion. Newark: Internacional Reading Association, 2002, p. 205-242.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. Brasília: UNB, 2001.

FERNANDES, J.; ALMEIDA, D. Revisitando a Gramática visual nos cartazes de guerra. In: ALMEIDA, D. (Org.). Perspectivas em Análise Visual: do fotojornalismo ao blog. João Pessoa: UFPB, 2008.

GONÇALVES, M. Espécie de texto: contributo para a caraterização do sítio web. Hipertextus, v.7, n.2, p. 1-12, 2011. Disponível em: http://www.hipertextus.net/volume7/02-Hipertextus-Vol7-Matilde-Goncalves.pdf

GONÇALVES, M. Organização textual e (des)linearidade: o caso dos sítios web. Estudos Linguísticos/Linguistics Studies, v. 8, p. 133-147, 2013. Disponível em: https://clunl.fcsh.unl.pt/wp-content/uploads/sites/12/2017/07/M.-Gon%C3%A7alves.pdf

GONÇALVES, M. Similitudes et différences textuelles dans les genres numériques: blog et site web. Studii Lingvistica, v. 4., p. 75-91, 2014. Disponível em: <https://doaj.org/article/9ad10ed96b18450abec2d71752055d45>

GONÇALVES, M.; JORGE, N. Potencialidades do plano de texto no ensino da leitura. A linguística na Formação do Professor: das teorias às práticas. Porto: Universidade do Porto, 2019, p. 121-138. Disponível em https://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/17949.pdf

GONÇALVES, M.; ROSA, R. O suporte digital na leitura e compreensão textual. Pelos Mares da Língua Portuguesa 4, p. 571-588, 2019. Disponível em https://ria.ua.pt/handle/10773/27566

HALLIDAY, M. A. K. Language as Social Semiotic. The social interpretation of language and mea-ning. London: Edward Arnold, 1978.

JORGE, N.; COUTINHO, A. Percursos (linguísticos) de leitura (literária).Palavras, n. 50-51, 2017.Linha D’Água (Online), São Paulo, v. 33, n. 2, p. 39-68, maio-ago. 2020

LEBRUN, M; LACELLE, N; BOUTIN, J-F. La littératie médiatique multimodale: des nouvelles approches en lecture-écriture à l ’école et hors de l ’ école. Québec: Presses de l’Université du Québec, 2012.

KRESS, G. & VAN LEEUWEN, T. Reading Images: The Grammar of Visual Design. London: Routledge, 2006.

LEAL, A. A organização textual do género cartoon: aspectos linguísticos e condicionamentos não lin-guísticos. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Uni-versidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2011. Disponível em:http://run.unl.pt/handle/10362/6646

LEAL, A. As representações semióticas no gênero Reportagem em revistas publicadas em Por-tugal. Linguagem em (Dis)curso. Portal de Periódicos da Unisinos. Ling. (dis)curso, v.18, n.2, p. 341-357, Tubarão, maio/ago. 2018.

LEAL, A. Compreender os percursos interpretativos no texto multimodal: uma proposta para o ensino da multimodalidade. Comunicação apresentada no VI Encontro do Interacionismo Sóciodiscursivo, Porto Alegre, 02 a 05 de julho, 2019.

LEAL, A.; SILVA-HARDMEYER, C. M. O Modelo Didáctico do Gênero Cartoon: Uma Ferramenta para o Ensino da Leitura e da Produção Textual. Veredas – Revista de Estudos Linguísticos, p. 137 – 153, 2017. Disponível em: http://www.ufjf.br/revistaveredas/edicoes/2017-2/especial/

MEC-DGE. Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. 2017. Disponível em http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf

MEC-DGE. Aprendizagens Essenciais – Ensino Básico 2018. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/aprendizagens-essenciais-ensino-basico

MEDINA, C. Notícia: um produto à venda. São Paulo: Summus Editorial, 1988.

QUINTILIANO. De l ’instituition de l ’orateur. Paris: Nyon Fils, 1752.

SILVA, P. N. Género, conteúdos e segmentação: em busca do plano de texto. Diacrítica. Revista do centro de estudos humanísticos. Série ciências da linguagem, v. 30, n. 1, p. 181-224. 2016. Disponível em: <http://ceh.ilch.uminho.pt/publicacoes/Diacritica_30-1.pdf>

SILVA, P.N.; ROSA, R. O plano de texto do artigo científico: caracterização e ensino. Diálogo das Letras, v. 7, n. 1, 2018.

SILVA, P.N.; ROSA, R. O plano de texto do artigo científico: caracterização e perspectivas didáticas. Delta, v. 35, n. 4, 2019.

RASTIER, F. Arts et sciences du texte. Paris: PUF. 2001.

VOLOCHINOV, V. N. Le marxisme et la philosophie du langage. Paris : Minuit. 1977.

Downloads

Publicado

2020-07-12

Como Citar

LEAL, Audria Albuquerque; GONÇALVES, Matilde. Gêneros e multimodalidade: o papel do plano de texto para o ensino da leitura. Linha D’Água, São Paulo, v. 33, n. 2, p. 39–68, 2020. DOI: 10.11606/issn.2236-4242.v33i2p39-68. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/167095.. Acesso em: 18 jun. 2024.