Gêneros e multimodalidade: o papel do plano de texto para o ensino da leitura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v33i2p39-68

Palavras-chave:

Plano de texto, gênero, multimodalidade, ensino, leitura

Resumo

Neste artigo, parte-se das propostas de Leal (2019) e de Gonçalves e Jorge (2019), com vista a contribuir para o ensino/ aprendizagem da leitura de textos multimodais. Para tal, articula-se a noção de plano de texto, equacionada como noção teórica e transposta como ferramenta de trabalho válida no âmbito do ensino da língua, com a de composicionalidade, evidenciando a interação entre o linguístico e as outras semioses. A articulação entre as duas noções possibilita trabalhar com textos multimodais, através de uma abordagem macro, para o nível contextual e, de uma abordagem meso/micro, para o nível configuracional. Pretende-se, com o presente contributo, melhorar as práticas de ensino/aprendizagem da leitura, em particular em textos com multiplicidade de linguagens, evidenciando como as diversas formas de interação entre o verbal e o não verbal são complexas e precisam de um trabalho faseado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Audria Albuquerque Leal, Universidade Nova de Lisboa. Centro de Linguística

Pesquisadora doutora do Centro de Linguística da Universidade Nova de Lisboa – CLUNL, Lisboa, Portugal; https://orcid.org/0000-0002-7190-2234; audrialeal@fcsh.unl.pt

Matilde Gonçalves, Universidade Nova de Lisboa. Centro de Linguística

Doutorada pela Université Paris 8 (Études Portugaises) e pela Universidade NOVA de Lisboa (Linguística – Teoria do Texto), é professora auxiliar convidada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa e investigadora do Centro de Linguística da Universidade NOVA de Lisboa (CLUNL), no qual desenvolve trabalho no grupo Gramática & Texto | Multitext. Enquadrado na linguística do texto e do discurso, o seu trabalho centra-se nas práticas de linguagem digitais, na literacia científica e na divulgação de ciência, bem como na transposição de instrumentos linguísticos para fins específicos.

Referências

ADAM, J.-M. Plan de texte. In: CHARAUDEAU, P.; MAINGUENEAU, D. (Eds.). Diction-naire d ’analyse du discours. Paris: Seuil, 2002, p. 433-434.

ADAM, J.-M. La linguistique textuelle. Introduction à l ’analyse textuelle des discours. Paris: Armand Co-lin, 2005.

ADAM, J.-M. A linguística textual. Introdução à análise textual dos discursos. São Paulo: Cortez Editora, 2008.

ADAM, J.-M. Problèmes du texte. Pré publications, Université d’Aarhus, 2013. Disponível em: http://cc.au.dk/fileadmin/dac/Arrangementsfoto/Prepub_no_200_-_nov_2013.pdf

BARTHES, R. O Grau Zero da Escrita seguido de Elementos de Semiologia. Lisboa: Edições 70, Coleção Signos, vol. 3, 1977.

BAKHTIN, M. Esthétique de la création verbale. Paris: Gallimard.1984

BONINI, A. Os gêneros do jornal: questões de pesquisa e ensino. In: KARWOSKI, A. M.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. (Orgs.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro: Lu-cerna, 2006, p. 57-69.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 1998.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2017.

BRONCKART, J.-P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. Trad. Anna Raquel Machado. São Paulo: EDUC, [1997] 1999.

BRONCKART, J.-P. A atividade de linguagem frente à língua: homenagem a Ferdinand de Saussure. In: GUIMARÃES, A. M. de M.; MACHADO, A. R.; COUTINHO, A. (Eds.). O interaccionismo sociodiscursivo. Questões epistemológicas e metodológicas. Campinas: Mercado de Letras, 2008, p. 19-42.

BUESCU, H. C.; MAIA, L. C; SILVA, M. G.; ROCHA, M. R. Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário. Ministério da Educação e Ciência de Portugal, 2014. Disponível em: http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Secundario/Documentos/Documen-tos_Disciplinas_novo/programa_metas_curriculares_portugues_secundario.pdf.

BUESCU, H. C.; MAIA, L. C; SILVA, M. G.; ROCHA, M. R. Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário. Ministério da Edu-cação e Ciência de Portugal, 2015. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Basico/Metas/Portugues/pmcpeb_julho_2015.pdf

COUTINHO, M. A. Macroestruturas e microestruturas textuais. In: DUARTE, I.; FIGUEIREDO, O. Português, língua e ensino. Porto: Porto Editorial, 2011, p. 189-220.

DIONISIO, A. Gêneros multimodais e multileramento. In: KARWOSKI, A.; GAYDECZKA, B.; BRITO, K. (Orgs.). Gêneros Textuais: reflexões e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006, p. 131-144. Linha D’Água (Online), São Paulo, v. 33, n. 2, p. 39-68, maio-ago. 2020

DOLZ, J.; GAGNON, R.; DECÂNDIO, F. Produção escrita e dificuldades de aprendizagem.Trad. Fábio Decândio e Ana Rachel Machado. Campinas: Mercado de Letras, 2010.

DUKE, N. K.; PEARSON, P. D. Effective practices for developing reading comprehension. In: FARSTRUP, A. E.; SAMUELS, S. J. (Orgs.). What Research Has to Say About Reading Instruc-tion. Newark: Internacional Reading Association, 2002, p. 205-242.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. Brasília: UNB, 2001.

FERNANDES, J.; ALMEIDA, D. Revisitando a Gramática visual nos cartazes de guerra. In: ALMEIDA, D. (Org.). Perspectivas em Análise Visual: do fotojornalismo ao blog. João Pessoa: UFPB, 2008.

GONÇALVES, M. Espécie de texto: contributo para a caraterização do sítio web. Hipertextus, v.7, n.2, p. 1-12, 2011. Disponível em: http://www.hipertextus.net/volume7/02-Hipertextus-Vol7-Matilde-Goncalves.pdf

GONÇALVES, M. Organização textual e (des)linearidade: o caso dos sítios web. Estudos Linguísticos/Linguistics Studies, v. 8, p. 133-147, 2013. Disponível em: https://clunl.fcsh.unl.pt/wp-content/uploads/sites/12/2017/07/M.-Gon%C3%A7alves.pdf

GONÇALVES, M. Similitudes et différences textuelles dans les genres numériques: blog et site web. Studii Lingvistica, v. 4., p. 75-91, 2014. Disponível em: <https://doaj.org/article/9ad10ed96b18450abec2d71752055d45>

GONÇALVES, M.; JORGE, N. Potencialidades do plano de texto no ensino da leitura. A linguística na Formação do Professor: das teorias às práticas. Porto: Universidade do Porto, 2019, p. 121-138. Disponível em https://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/17949.pdf

GONÇALVES, M.; ROSA, R. O suporte digital na leitura e compreensão textual. Pelos Mares da Língua Portuguesa 4, p. 571-588, 2019. Disponível em https://ria.ua.pt/handle/10773/27566

HALLIDAY, M. A. K. Language as Social Semiotic. The social interpretation of language and mea-ning. London: Edward Arnold, 1978.

JORGE, N.; COUTINHO, A. Percursos (linguísticos) de leitura (literária).Palavras, n. 50-51, 2017.Linha D’Água (Online), São Paulo, v. 33, n. 2, p. 39-68, maio-ago. 2020

LEBRUN, M; LACELLE, N; BOUTIN, J-F. La littératie médiatique multimodale: des nouvelles approches en lecture-écriture à l ’école et hors de l ’ école. Québec: Presses de l’Université du Québec, 2012.

KRESS, G. & VAN LEEUWEN, T. Reading Images: The Grammar of Visual Design. London: Routledge, 2006.

LEAL, A. A organização textual do género cartoon: aspectos linguísticos e condicionamentos não lin-guísticos. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Uni-versidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2011. Disponível em:http://run.unl.pt/handle/10362/6646

LEAL, A. As representações semióticas no gênero Reportagem em revistas publicadas em Por-tugal. Linguagem em (Dis)curso. Portal de Periódicos da Unisinos. Ling. (dis)curso, v.18, n.2, p. 341-357, Tubarão, maio/ago. 2018.

LEAL, A. Compreender os percursos interpretativos no texto multimodal: uma proposta para o ensino da multimodalidade. Comunicação apresentada no VI Encontro do Interacionismo Sóciodiscursivo, Porto Alegre, 02 a 05 de julho, 2019.

LEAL, A.; SILVA-HARDMEYER, C. M. O Modelo Didáctico do Gênero Cartoon: Uma Ferramenta para o Ensino da Leitura e da Produção Textual. Veredas – Revista de Estudos Linguísticos, p. 137 – 153, 2017. Disponível em: http://www.ufjf.br/revistaveredas/edicoes/2017-2/especial/

MEC-DGE. Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. 2017. Disponível em http://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Projeto_Autonomia_e_Flexibilidade/perfil_dos_alunos.pdf

MEC-DGE. Aprendizagens Essenciais – Ensino Básico 2018. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/aprendizagens-essenciais-ensino-basico

MEDINA, C. Notícia: um produto à venda. São Paulo: Summus Editorial, 1988.

QUINTILIANO. De l ’instituition de l ’orateur. Paris: Nyon Fils, 1752.

SILVA, P. N. Género, conteúdos e segmentação: em busca do plano de texto. Diacrítica. Revista do centro de estudos humanísticos. Série ciências da linguagem, v. 30, n. 1, p. 181-224. 2016. Disponível em: <http://ceh.ilch.uminho.pt/publicacoes/Diacritica_30-1.pdf>

SILVA, P.N.; ROSA, R. O plano de texto do artigo científico: caracterização e ensino. Diálogo das Letras, v. 7, n. 1, 2018.

SILVA, P.N.; ROSA, R. O plano de texto do artigo científico: caracterização e perspectivas didáticas. Delta, v. 35, n. 4, 2019.

RASTIER, F. Arts et sciences du texte. Paris: PUF. 2001.

VOLOCHINOV, V. N. Le marxisme et la philosophie du langage. Paris : Minuit. 1977.

Downloads

Publicado

2020-07-12

Como Citar

Leal, A. A., & Gonçalves, M. (2020). Gêneros e multimodalidade: o papel do plano de texto para o ensino da leitura. Linha D’Água, 33(2), 39-68. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v33i2p39-68

Edição

Seção

Artigos originais