A tridimensionalidade verbivocovisual da linguagem bakhtiniana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v33i3p105-134

Palavras-chave:

Círculo de Bakhtin, verbivocovisualidade, diálogo, sociohistoricidade, palavra viva

Resumo

Neste artigo, o intuito é refletir acerca da concepção de linguagem formulada por Bakhtin, Medviédev e Volóchinov, em suas respectivas obras Problemas da Obra de Dostoiévski (2010 [1929]), Método Formal nos Estudos Literários (2012 [1928]) e Marxismo e Filosofia da Linguagem (2017 [1929]). O método, chamado por Bakhtin (mimeo) de sociológico, considerou o diálogo entre as obras e os autores, em cotejo com outros textos, tanto do Círculo, quanto de estudiosos dessa episteme e ilustrou a reflexão com alguns enunciados estéticos. A hipótese é a que, ao elaborarem e construírem a proposta de estudo sobre e a concepção de linguagem, os autores russos realizam sua delimitação conceitual de maneira tridimensional, aqui denominada como verbivocovisual (PAULA, 2017), em vista de conceber o homem constituído pela e na linguagem em sua máxima potencialidade expressiva. Pensar num desdobramento dos estudos bakhtinianos voltado à contemporaneidade revela a relevância desta pesquisa. A contribuição do estudo consiste na reflexão acerca da pertinência dos estudos bakhtinianos como fundamentos teóricos para análises de enunciados multimodais, além da materialidade verbal, extensamente analisada pelos autores russos. Os resultados demonstram que leituras extemporâneas bem fundamentadas podem reacender outras luzes à teoria e, com isso, colaborar com a seara dos estudos bakhtinianos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, T. do. Operários. Óleo sobre tela. 150 x 205 cm. São Paulo: Palácio Boa Vista, 1933.

ARISTÓTELES; HORÁCIO; LONGÍNQUO. A Poética Clássica. Trad. Bruna Jaime. 12ª ed.

São Paulo: Cultrix, 2005, p. 53-68.

BAKHTIN, M. Questões de literatura e estética. Trad. Aurora Fornoni Bernardini et alii. São

Paulo: UNESP e HUCITEC, 1988.

BAKHTIN, M. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. Trad. Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 2008.

BAKHTIN, M. Para uma filosofia do ato responsável. Trad. Valdemir Miotello e Carlos Aberto

Faraco. São Carlos: Pedro & João, 2010a.

BAKHTIN, M. Problemi dell’opera di Dostoevskij. Trad. Margherita de Michiel. Bari: Edizioni

dal Sud, 2010b.

BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. Trad. Paulo Bezerra. 6ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, M. Questões de Estilística no Ensino de Língua. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2013.

BAKHTIN, M. Problemas da Poética de Dostoiésvki. Trad. Paulo Bezerra. 5ª ed. Rio de Janeiro:

Forense Universitária, 2015a.

BAKHTIN, M. Teoria do Romance I – A Estilística. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34,

b.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Trad. Paulo Bezerra São Paulo: Editora 34, 2016.

BAKHTIN, M & DUVAKIN, V. Mikhail Bakhtin em diálogo – Conversas de 1973 com Viktor

Duvakin. Trad. Daniela Miotello Mondardo. São Carlos: Pedro & João, 2008.

BAKHTIN, M. (VOLOSHINOV). Discurso na Vida, Discurso na Arte (Sobre a Poética Sociológica). Trad. Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza, a partir da tradução inglesa para fins

acadêmicos, s/d (mimeo)

BAUMAN, Z. Tempos líquidos. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar,

BRANDIST, C. The Bakhtin Circle: Philosophy, Culture and Politics. London: Pluto Press, 2002.

CAMPOS, A. de; PIGNATARI, D. CAMPOS, H. de. Teoria da Poesia Concreta. São Paulo:

Livraria Duas Cidades, 1975.

CARAVAGGIO. Medusa. Óleo sobre Tela. 60 x 55 cm. Florença: Galleria degli Uffizi, 1597.

Disponível em: http://serturista.com.br/wp-content/uploads/2017/08/IMG_3310-300x300.

jpg Acesso em: 11 de jun. 2020.

CASSOTTI, R. S. Ressonâncias musicais no Círculo de Bakhtin – Ivan I. Sollertinsky, intérprete de Mozart. In: PAULA, L. de; STAFUZZA, G. Círculo de Bakhtin: teoria inclassificável.

Campinas: Mercado de Letras, 2010. (Série Bakhtin: inclassificável, v. 2).

COSOR, S. The Scream. Curta-metragem independente. Vimeo, 2011.

DA VINCI, L. Monalisa. Óleo sobre madeira de álamo. 77 x 53 cm. Paris: Museu do Louvre,

DOBRENKO, E. A cultura soviética entre a revolução e o stalinismo. Estudos Avançados, v. 31,

n. 91, p. 25-39, 1 dez. 2017. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/141902

Acesso em: 12 de out. 2020.

EIKHENBAUM, B. (Edit). The Poetics of Cinema. Series Russian Poetics in Translation by

Richard Taylor et alii, v. 9. England: Department of Language & Linguistics, University of

Essex, 1982.

EMERSON, C. Os 100 primeiros anos de Mikhail Bakhtin. Trad. Pedro Jorgensen Jr. Rio de Janeiro: DIFEL, 2003.

ESQUECERAM DE MIM. Direção de Chris Columbus. Estados Unidos: 20th Century Fox,

103 min, son, cor.

FARACO, C. A. Linguagem e diálogo: as ideias linguísticas do Círculo de Bakhtin. Curitiba:

Criar, 2009.

FOLMAN, A.; POLONSKY, D. O diário de Anne Frank. Rio de Janeiro: Record, 2017.

FRANK, A. O diário de Anne Frank. Rio de Janeiro: Record, 1995.

GRILLO, S. Marxismo e filosofia da linguagem: uma resposta à ciência da linguagem do século

XIX e do início século XX. In: VOLÓCHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem. Trad.

Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

IVANOVA, I. O diálogo na linguística soviética dos anos 1920-1930. Bakhtiniana. Revista de

Estudos do Discurso, [S.l.], n. 6, p. 239-267, nov. 2011. ISSN 2176-4573. Disponível em: < https://revistas.pucsp.br/bakhtiniana/article/view/6089 >. Acesso em: 23 maio 2020.

KHYLYA HEMOUR, A. La politique linguistique de l’URSS (1917-1991). 2010. 133f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Université Sthendal, Grenoble, 2010.

LOONEY TUNES – DE VOLTA À AÇÃO. Direção de Joe Dante. Estados Unidos: Warner

Bros Pictures, 2003. 90 min, son, cor.

MEDVIÉDEV, P. O Método Formal nos Estudos Literários. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Contexto, 2012.

MEDVIÉDEV, I. P; MEDVIÉDEVA, D. A.; SHEPHERD, D. A polifonia do Círculo. Bakhtiniana. Revista de Estudos do Discurso, [S.l.], v. 11, n. 1, p. Eng. 89-128 / Port. 99-144, nov. 2015.

ISSN 2176-4573. Disponível em: < https://revistas.pucsp.br/bakhtiniana/article/view/24397 >.

Acesso em: 20 maio 2020.

MUNCH, E. O Grito. Óleo sobre Tela, Têmpera e Pastel. 91 x 73,5 cm. Oslo: Galeria Nacional, 1893. Disponível em: https://cdn.culturagenial.com/imagens/712px-edvard-munch-the-scream-google-art-project-cke.jpg Acesso em: 11 de jun. 2020.

NIETZSCHE, F. O nascimento da tragédia, ou Helenismo e Pessimismo. Tradução, notas e posfácio J. Guinsburg. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

PAULA, L. de. Verbivocovisualidade – uma abordagem bakhtiniana tridimensional da linguagem. Projeto de Pesquisa em andamento. UNESP, 2017a (Mimeo).

PAULA, L. de. O enunciado verbivocovisual de animação – a valoração do “amor verdadeiro”

Disney – uma análise de Frozen. In: FERNANDES JR., A.; STAFUZZA, G. B. (Orgs). Discursividades Contemporâneas: política, corpo e diálogo. Série Estudos da Linguagem. Campinas:

Mercado de Letras, 2017b, p. 287-314.

PAULA, L. de; LUCIANO, J. A. R. A filosofia da linguagem bakhtiniana e sua tridimensionalidade verbivocovisual. In: Revista Estudos Linguísticos (São Paulo), v. 49, n. 2, p. 706-722, jun.

a. Disponível em https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/2691/1713.

Acesso em: 16 set. 2020.

PAULA, L. de; LUCIANO, J. A. R. Filosofia da Linguagem Bakhtiniana: concepção verbivocovisual. Revista Diálogos. Cuiabá: 2020b, no prelo.

PAULA, L. de; LUCIANO, J. A. R. Recepções do pensamento bakhtiniano no ocidente: a verbivocovisualidade no brasil. In: JÚNIOR, Atílio Butturi; BARBOSA, Thiago Soares. No campo

discursivo: Teoria e Análise. Campinas: Pontes, 2020c, no prelo

PAULA, L. de; SERNI, N. M. A vida na arte: a verbivocovisualidade do gênero filme musical.

Raído, Dourados, v. 11, n. 25, p. 178-201, jul. 2017. Disponível em: https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/Raido/article/view/6507 Acesso em: 12 de out. 2020.

PAULA, L. de; STAFUZZA, G. Círculo de Bakhtin: teoria inclassificável. Série Bakhtin: inclassificável, v. 1. Campinas: Mercado de Letras, 2010.

OS SIMPSONS. Queimaduras e Abelhas. Episódio 428 – 8º episódio da 20ª temporada. Fox,

PINK FLOYD. “The Great Gig in the Sky”. The Dark Side of the Moon. Harvest (UK), 1973.

REIS, D. As revoluções russas e a emergência do socialismo autoritário. Estudos Avançados, v.

, n. 91, p. 67-79, 1 dez. 2017.

SAUSSURE, F. Curso de Linguística Geral. Trad. Antônio Chelini et alii. São Paulo: Cultrix,

SCHNAIDERMAN, B. (Org). A poética de Maiakóvski através de sua prosa. São Paulo: Perspectiva, 1971.

SCHNAIDERMAN, B. (Org). Semiótica na U.R.S.S.: uma busca de “elos perdidos” (á guisa

de introdução). In: SCHNAIDERMAN, B. (org.). Semiótica russa. 2ª edição. São Paulo: Perspectiva, 2010. p. 9-27.

VAN GOGH, V. A noite estrelada. Óleo sobre Tela. 74 x 92 cm. Nova Iorque: Museu de Arte

Moderna, 1889.

VERMEER, J. Moça com brinco de pérola. Óleo sobre tela. 44.5 x 39 cm. Haia: Mauritshuis, 1665.

VOLÓCHINOV, V. Marxismo e Filosofia da Linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

VOLÓCHINOV, V. A palavra na vida e a palavra na poesia. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina

Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2019.

WHISTLER, J. M. Arranjo em Cinza e Preto n. 1 ou Retrato da Mãe do Artista. Óleo sobre tela.

3 x 162.4. Paris: Umseu de Orsay, 1871.

Downloads

Publicado

2020-11-20

Como Citar

Paula, L. de, & Luciano, J. A. R. (2020). A tridimensionalidade verbivocovisual da linguagem bakhtiniana. Linha D’Água, 33(3), 105-134. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v33i3p105-134

Edição

Seção

Artigos originais