Rostos, afetos e intencionalidade: análise semiolinguística de marcas da pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v34i1p60-80

Palavras-chave:

Verbo-visualidade, Ethos, Patemização, Mídia, Recursos discursivos

Resumo

Neste artigo, propõe-se a análise de textos verbo-visuais – uma matéria de capa de jornal e uma publicidade veiculada em revistas – que apresentam, em comum, rostos femininos marcados, em alguma medida, por indícios da pandemia de covid-19. Essa análise tem como objetivo destacar recursos discursivos que implicitam ideias, emoções e intencionalidades de acordo, sobretudo, com o imaginário sociodiscursivo partilhado pelos interagentes da troca propiciada por esses textos, no intuito de contribuir com um embasamento teórico-analítico para a elaboração de atividades de interpretação voltadas para a “Educação Midiática” proposta pela Base Nacional Comum Curricular. Tendo como fundamento a Teoria Semiolinguística de Análise do Discurso em interface com outros estudos, serão explorados, inicialmente, os conceitos de imagem como signo, imagem-sintoma e intericonicidade. A seguir, tomando mais especificamente os textos em tela, será observada a construção do ethos e da visada patêmica na discursivização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AUCHLIN, A. Ethos e experiência do discurso: algumas observações. In: MARI, H.; MACHADO, I. L.; MELO, R. (Org.). Análise do discurso: fundamentos e práticas. Belo Horizonte: Núcleo de Análise do Discurso – FALE/UFMG, 2001.

BARTHES, R. O óbvio e o obtuso. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

BRASIL. Ministério de Educação. Base Nacional Comum Curricular. 2017

CHARAUDEAU, P. Compréhension et interpretation: interrogations autour de deux modes d’appréhension du sens dans les sciences du langage. In: ACHARD-BAYLE, G.; GUÉRIN, M.; KLEIBER, G.; KRYLYCHIN, M. (org.). Les sciences du langage et la question de l’interprétation (aujourd’hui). Limoges, Les Éditions Lambert-Lucas, 2018. p. 21-55. Disponível em português em: https://ciadrj.letras.ufrj.br/2019/11/21/novo-artigo-de-patrick-charaudeau-traduzido. Acesso em 16 jun. 2020.

CHARAUDEAU, P. Imagem, mídia, política: construção, efeitos de sentido, dramatização, ética. In: MENDES, E. (coord.); MACHADO, I. L.; LIMA, H.; LYSARDO-DIAS, D. (orgs.). Imagem e discurso. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2013. p. 383-405.

CHARAUDEAU, P. A patemização na televisão como estratégia de autenticidade. In: MENDES, E.; MACHADO, I. L. (orgs.) As emoções no discurso. v. II. Campinas: Mercado das Letras, 2010.

CHARAUDEAU, P. Discurso Político. São Paulo: Contexto, 2006.

CHARAUDEAU, P. Linguagem e discurso – modos de organização. São Paulo: Contexto, 2008.

COURTINE, Jean-Jacques. Decifrar o corpo: pensar com Foucault. Petrópolis: Vozes, 2013.

EGGS, E. Ethos aristotélico, convicção e pragmática moderna. In: AMOSSY, R. (Org.). Imagens de si no discurso. A construção do ethos. São Paulo: Contexto, 2005.

ELLSWORTH, E. Modos de endereçamento: uma coisa de cinema; uma coisa de educação também. In: SILVA, T. T. (Org.). Nunca fomos humanos – nos rastros do sujeito. Belo Horizonte: Autêntica, 2001. p. 7-76.

GOFFMAN, E. A representação do Eu na vida cotidiana. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

GOFFMAN, E. A elaboração da face. Tradução Jane Russo. In: FIGUEIRA, S. A. (Org.). Psicanálise e Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1980.

HARRÉ, R. Grammaire et lexiques, vecteurs des representations socials. In: JODELET, D. Les représentations sociales. Paris: PUF, 1999.

GOMES, I. M. M. et al. Modo de endereçamento no telejornalismo do horário nobre brasileiro: o Jornal Nacional, da Rede Globo de Televisão. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO – INTERCOM, 28, 2005, Rio de Janeiro. Congresso… Rio de Janeiro: [s.n.], 2005. Trabalho apresentado ao NP 07 – Comunicação Audiovisual.

GUIMARÃES, R. N. Estratégias de captação em capas-cartazes do Jornal Popular Meia Hora. 2020. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2020. Disponível em: https://app.uff.br/riuff/handle/1/14565. Acesso em 09 nov 2020.

MAINGUENEAU, D. A propósito do ethos. In: MOTTA, A. R.; SALGADO, L. (Org.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2008.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: Investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes. 2013.

SANT'ANNA, A. R. Ler o mundo. Rio de Janeiro: Global Editora, 2011.

SANTAELLA, L.; NÖTH, W. Imagem: cognição, semiótica, mídia. 4.ed. São Paulo: Iluminuras, 2005.

SELLES, S. E. A BNCC e a Resolução CNE/CP nº 2/2015 para a formação docente: a “carroça na frente dos bois”. In: Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 35, n. 2, p. 337-344, ago. 2018.

Downloads

Publicado

2021-05-03

Como Citar

Feres, B. dos S., Ribeiro, P. F. N. ., & Monnerat, R. S. M. . (2021). Rostos, afetos e intencionalidade: análise semiolinguística de marcas da pandemia. Linha D’Água, 34(1), 60-80. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v34i1p60-80

Edição

Seção

Artigos originais