A realidade e o realismo em A máquina extraviada de José J. Veiga

Autores

  • Leonice de Andrade Carvalho Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9826.literartes.2017.113617

Palavras-chave:

Modernidade, Realismo, História, Contos, José J. Veiga.

Resumo

Este artigo tem como objetivo contribuir com a crítica da obra veigueana, relendo um dos contos mais importantes do autor e buscando rever alguns pontos importantes já tidos como consolidados na crítica da obra veigueana. Para tanto, considera-se a relação complexa entre Literatura, História e Sociedade, ou seja, como a Forma Literária é capaz de internalizar a vida social em um movimento constante e dialético. Buscou-se examinar como o escritor, diante dos dilemas estéticos que impõe a narrativa literária, foi capaz de perceber o fluxo da história e das aflições humanas. O conto A máquina extraviada é considerado um conto denúncia e a narrativa de Veiga uma representação eficaz dos acontecimentos políticos do Brasil dos anos 60. 

Biografia do Autor

Leonice de Andrade Carvalho, Instituto Federal Goiano - Campus Urutaí

Doutora em Teoria literária e práticas sociais pela Universidade de Brasília (UNB), mestre em Estudos Literários pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Professora efetiva do Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí, desenvolve pesquisas em Teoria Literária, Literatura Brasileira, Ensino de Literatura e Formação de Leitores e Professores. 

Referências

BENJAMIN, Walter. O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: Obras escolhidas I: magia e técnica, arte e política. 3. ed. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987, p. 197-221.

LUKÁCS, Georg. Narrar ou descrever? Uma discussão sobre naturalismo e formalismo. In: Marxismo e teoria da literatura. (Seleção, apresentação e tradução de Carlos Nelson Coutinho). 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010, p. 149-186.

LUKÁCS, Georg. Introdução a uma Estética Marxista: Sôbre a

Particularidade como Categoria da Estética. Tradução de Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

REZENDE, Irene Severina. O fantástico no contexto sócio-cultural do século XX: José J. Veiga (Brasil) e Mia Couto (Moçambique). São Paulo, 2008. Tese/USP. 2008.

VEIGA, José J. A máquina extraviada. In: Melhores contos de J. J. Veiga. (Seleção de J. Aderaldo Castello). 4. ed. São Paulo: Global, 2000. (Coleção Melhores Contos) p. 133-136.

VEIGA, José J. Os cavalinhos de Platiplanto. In: Melhores contos de J. J. Veiga. (Seleção de J. Aderaldo Castello). 4. ed. São Paulo: Global, 2000. (Coleção Melhores Contos) p. 27-34.

Downloads

Publicado

2017-12-23

Como Citar

CARVALHO, L. de A. A realidade e o realismo em A máquina extraviada de José J. Veiga. Literartes, [S. l.], v. 1, n. 7, p. 121-140, 2017. DOI: 10.11606/issn.2316-9826.literartes.2017.113617. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/113617. Acesso em: 4 mar. 2021.