Rubião por Rubião: a poética muriliana em um conto metalinguístico

Autores

  • Marcelo Pacheco Soares Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9826.literartes.2016.116508

Palavras-chave:

Literatura fantástica, Murilo Rubião, intertextualidade.

Resumo

Este artigo investiga as características da produção contística de Murilo Rubião e suas principais influências (Edgar Allan Poe, Machado de Assis, Franz Kafka, textos bíblicos) com base nas evidências identificadas em seu conto metalinguístico “Marina, a Intangível”.

Biografia do Autor

Marcelo Pacheco Soares, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Doutor e Mestre em Literatura Portuguesa pela Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, possui Bacharelado e Licenciatura em Português-Literaturas pela mesma instituição e, atualmente, desenvolve pesquisa de Pós-Doutorado no Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense. Conduz pesquisas principalmente sobre temas como Intertextualidade e Literaturas Fantásticas, sobretudo no gênero conto. Foi bolsista de Iniciação Científica e de Doutorado da Cátedra Jorge de Sena de Estudos Luso-Afro-Brasileiros da UFRJ, com fomento da Fundação Calouste Gulbenkian, de Lisboa (Portugal). Foi professor substituto do Colégio Técnico da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CTUR) e professor efetivo do Centro de Instrução Almirante Alexandrino da Marinha do Brasil (CIAA), além de ter atuado em instituições de ensino estaduais e municipais. Desde agosto de 2008, ocupa o cargo de professor efetivo de Língua Portuguesa e Literatura do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), onde atuou como Conselheiro da área de Linguística, Letras e Artes no Conselho Acadêmico de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação de 2009 a 2013, exerceu a função de Diretor de Apoio Técnico ao Ensino do Campus São Gonçalo de 2009 a 2014 e, desde então, no mesmo campus, é Coordenador do Curso de Especialização em Ensino de Histórias e Culturas Africanas e Afro-Brasileira.

Referências

ALENCAR, João Nilson Pereira de. A exaustão da palavra - um prototexto para “Marina, a Intangível” de Murilo Rubião. Dissertação de Mestrado em Literatura Brasileira e Teoria Literária apresentada à Coordenação dos Cursos de Pós-Graduação da Faculdade de Letras da UFSC. Florianópolis: Faculdade de Letras, 1992, 175pp.

ARRIGUCCI JR., Davi. Enigma e comentário: ensaio sobre a literatura e a experiência. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

ASSIS, Machado de. Memórias póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

ASSIS, Machado de. “O cônego ou metafísica do estilo”. In: Várias histórias. São Paulo: Globo, 1997, p. 89-93.

ASSIS, Machado de. “O esqueleto”. In: Um esqueleto e outros contos. São Paulo: Escritura, 2003, p. 6-15.

ASSIS, Machado de. “Pílades e Orestes”. In: MORICONI, Ítalo. Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

BASTOS, Hermenegildo José. “Mas uma narrativa antes de acabar o mundo (ensaio sobre o tema da viagem em Murilo Rubião). In: RevistaOrganon. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, v.17, n.34, janeiro/junho de 2003, p. 193-207.

BÍBLIA SAGRADA. Tradução: Centro Bíblico Católico. São Paulo: Ave-Maria, 1996.

CÁNOVAS, Suzana Yolanda L. Machado. “O universo fantástico de um mágico burocrata”. In: Revista Ciências e letras - Momentos do conto brasileiro. Porto Alegre: Faculdade Porto-Alegrense, n.34, julho/dezembro de 2003, p. 57-68.

GOULART, Audemaro Taranto. O conto fantástico de Murilo Rubião. Belo Horizonte: Lê, 1995.

KAFKA, Franz. A metamorfose. Tradução: Modesto Carone. São Paulo: Brasiliense, 2000.

KAFKA, Franz. O processo. Tradução: Álvaro Gonçalves. Lisboa: Assírio&Alvim, 2001.

KAFKA, Franz. O castelo. Tradução: Modesto Carone. São Paulo: Brasiliense, 1986.

MORAES, Marcos Antonio de. Mário e o pirotécnico aprendiz (cartas de Mário de Andrade e Murilo Rubião). Belo Horizonte: Editora UFMG, 1995.

PESSANHA, Cláudia Helena Ribeiro. Invenção e realidade em Murilo Rubião, José J. Veiga e Victor Giudice. Tese de Doutorado em Literatura Brasileira apresentada à Coordenação dos Cursos de Pós-Graduação da Faculdade de Letras da UFRJ. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras, 2002, 245pp.

PESSANHA, Cláudia Helena Ribeiro. Murilo Rubião: uma estética do insólito. Dissertação de Mestrado em Literatura Brasileira apresentada à Coordenação dos Cursos de Pós-Graduação da Faculdade de Letras da UFRJ. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras, 1996, 195pp.

POE, Edgar Allan. Ficção completa, poesia & ensaios. Trad. Oscar Mendes, Milton Amado. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1986.

RUBIÃO, Murilo. “Busca desesperada da clareza”. In: Seleção de textos, notas, estudos biográfico, histórico e crítico e exercícios por Jorge Schwartz. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

RUBIÃO, Murilo. Contos reunidos. São Paulo: Ática, 1999.

SARTRE, Jean-Paul. “Aminabad, ou o fantástico considerado como uma linguagem”. In:Situações I. Tradução: Cristina Prado. São Paulo: Cosacnaify, 2005, p. 133-49.

SCHWARTZ, Jorge (org.). Entrevista - “Busca desesperada da clareza”. In: Murilo Rubião - leitura comentada. São Paulo: Abril Educação, 1982, p. 3-5.

SCHWARTZ, Jorge. Murilo Rubião: a poética do Uroboro. São Paulo: Ática, 1981.

TODOROV, Tzveten. Introdução à literatura fantástica. Tradução: Maria Clara Correa Castello. São Paulo: Perspectiva, 1975.

Downloads

Publicado

2016-12-27

Como Citar

SOARES, M. P. Rubião por Rubião: a poética muriliana em um conto metalinguístico. Literartes, [S. l.], n. 6, p. 87-107, 2016. DOI: 10.11606/issn.2316-9826.literartes.2016.116508. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/116508. Acesso em: 31 jul. 2021.