Luís Bernardo Honwana, imobilidade e violência sob o olhar infantil

Autores

  • Marana Borges Universidade de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9826.literartes.2018.153289

Palavras-chave:

Honwana, Nós matamos o Cão Tinhoso!, Colonialismo, Literatura Moçambicana, Rosita

Resumo

O livro de contos Nós matamos o Cão Tinhoso!, de Luís Bernardo Honwana, publicado em 1964, foi um marco na literatura contemporânea de Moçambique. Nesta resenha, analiso a segunda edição brasileira da obra, que inclui mais um conto. Proponho uma leitura dos contos que leve em consideração o olhar infantil sobre a violência e o consequente desconcerto causado no leitor. A impossibilidade de dar sentido à violência impede os personagens de se rebelarem contra o arbítrio colonial.

Biografia do Autor

Marana Borges, Universidade de Lisboa

 Formada em Jornalismo pela Universidade de São Paulo, mestre em Teoria da Literatura pela Universidade de Lisboa e doutoranda pela mesma instituição. Atualmente é pesquisadora residente no Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), em Paris.

Downloads

Publicado

2018-12-29

Como Citar

BORGES, M. Luís Bernardo Honwana, imobilidade e violência sob o olhar infantil. Literartes, [S. l.], v. 1, n. 9, p. 198-207, 2018. DOI: 10.11606/issn.2316-9826.literartes.2018.153289. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/153289. Acesso em: 4 out. 2022.