Construindo pontes

a importância do diálogo na sala de aula para o estímulo à leitura

Autores

  • Fernanda da Cunha Correia Universidade Presbiteriana Mackenzie

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9826.literartes.2020.171452

Palavras-chave:

literatura, ensino, diálogo, cânone literário, literatura infantil e juvenil

Resumo

O ensino de literatura ainda tem priorizado a leitura do cânone a partir da fortuna crítica estabelecida sobre as obras sem levar em consideração dificuldades enfrentadas pelo aluno atual ao trabalhar com esse tipo de texto. A partir das ideias de Paulo Freire, Antonio Candido e Leyla Perrone-Moisés o presente artigo discute a respeito da educação e do ensino de literatura e aponta algumas formas de estímulo à leitura para alunos do Ensino Médio. Considerando-se o posicionamento dos referidos autores nos quais esse estudo se baseia, percebe-se que o papel do professor está em, para além de transmitir seu conhecimento, oferecer os meios para que o estudante possa adquirir suas próprias ferramentas de análise e interpretação e ter independência para compreender qualquer texto literário.

 

Biografia do Autor

Fernanda da Cunha Correia, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie
com bolsa CAPES-PROEX.

Referências

ABREU, Márcia (Org.). Literatura é forma de humanização do sujeito – quando os leitores se contam aos milhares. In: Cultura letrada: literatura e leitura. São Paulo: EDUNESP, 2004.

AVELAR, Idelber. Cânone Literário e Valor Estético: notas sobre um debate de nosso tempo. Revista Brasileira de Literatura Comparada, n.15, p. 113–150, 2009.

BORGES, Jorge Luis. Esse ofício do verso. Organização de Calin-Andrei Mihailescu. Tradução de José Marcos Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

CHARTIER, Roger. A leitura entre a falta e o excesso. In: A aventura do livro: do leitor ao navegador. Trad. Reginaldo C. Moraes. São Paulo: EDUNESP; Imprensa Oficial, 1999.

EAGLETON, Terry. Como ler literatura. Tradução de Denise Bottmann. Porto Alegre: L&PM, 2019.

EAGLETON, Terry. O que é literatura. In: Teoria da literatura: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

FRYE, Northrop. A imaginação educada. Tradução de Adriel Teixeira, Bruno Geraidine e Cristiano Gomes. Campinas: Vide Editorial, 2017

GOETHE, Johann Wolfgang von. Fausto: uma tragédia – primeira parte. Trad. Jenny Klabin Segall. São Paulo, 34, 2017.

GREGORIO, Rafael. Obra-prima dos Racionais MC's, 'Sobrevivendo no Inferno' vira livro após ser exigido em vestibular. Folha de S.Paulo, São Paulo, 16 nov. 2018, Ilustrada. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/11/obra-prima-dos-racionais-mcs-sobrevivendo-no-inferno-vira-livro-apos-ser-exigido-em-vestibular.shtml> Acesso em 7 jun. 2020.

PERRENOUD, Philippe. Saber refletir sobre a própria prática: objetivo central da formação de professores?. In: A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.

PERRONE-MOISÉS, L. O ensino da literatura. In: Mutações da literatura no séc. XXI. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

PETIT, Michèle. Leituras: do espaço íntimo ao espaço público. Tradução de Celina Olga de Souza. São Paulo: Editora 34, 2013.

ROUXEL, Annie. Aspectos metodológicos do ensino de literatura. In: Dalvi, M. A.; REZENDE, N. L.; JOVER-FALEIROS, R. Leitura de literatura na escola. São Paulo: Parábola, 2013.

SANCHES NETO, Miguel. O lugar da literatura. In: O lugar da literatura: ensaios sobre inclusão literária. Londrina: Eduel, 2013.

SCHÖN, Donald A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, António (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992.

SILVA, Claudicélio R. Da literatura como travessia: é possível ensinar literatura?. In: LEURQUIN, E. e COUTINHO, F. Literatura e ensino. Campinas: Mercado das Letras, 2019.

SOMBINI, Eduardo. Jovens leem mais no Brasil, mas hábito de leitura diminui com a idade. Folha de S.Paulo, São Paulo, 28 set. 2019, 3º Seminário Economia Da Arte. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/seminariosfolha/2019/09/jovens-leem-mais-no-brasil-mas-habito-de-leitura-diminui-com-a-idade.shtml> Acesso em 7 jun. 2020.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. Tradução de Caio Meira. Rio de Janeiro: Difel, 2019.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

CORREIA, F. da C. Construindo pontes: a importância do diálogo na sala de aula para o estímulo à leitura. Literartes, [S. l.], v. 1, n. 13, p. 270-287, 2020. DOI: 10.11606/issn.2316-9826.literartes.2020.171452. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/171452. Acesso em: 24 out. 2021.