Hamlet passeia na savana

Autores

  • Elizabeth Ramos
  • Poema Quesado Valente Meyer
  • Manoela Sarubbi Henares Figueiredo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9826.literartes.2013.62356

Palavras-chave:

William Shakespeare, Hamlet, O Rei Leão, animação, tradução intersemiótica

Resumo

As relações entre a literatura e o cinema, do ponto de vista da tradução intersemiótica, são não hierarquizadas, posto que a produção cinematográfica resulta em um texto também original, fruto da interpretação de um texto-fonte construída por um sujeito singular. Aqui, contemplamos a animação O rei leão (1994) como releitura da tragédia shakespeariana Hamlet, o príncipe da Dinamarca (circa 1601) atentando, em particular, para os deslocamentos e ressignificações do texto-fonte.

Biografia do Autor

  • Elizabeth Ramos

    Doutora em Letras e Linguística, UFBA. Coordenadora do grupo de pesquisa “Shakespeare passeia na contemporaneidade”

  • Poema Quesado Valente Meyer

    Doutoranda, University of California, Berkeley. Pesquisa em literatura brasileira no exterior

  • Manoela Sarubbi Henares Figueiredo

    Pesquisadora do projeto Shakespeare passeia na contemporaneidade, UFBA

Downloads

Publicado

2013-10-13

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

RAMOS, Elizabeth; MEYER, Poema Quesado Valente; FIGUEIREDO, Manoela Sarubbi Henares. Hamlet passeia na savana. Literartes, São Paulo, Brasil, n. 2, p. 23–39, 2013. DOI: 10.11606/issn.2316-9826.literartes.2013.62356. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/62356.. Acesso em: 20 jul. 2024.