[1]
L. Jean e P. C. Ribeiro Filho, “O paradoxo de Charles Perrault: como contos de fadas aristocráticos se tornaram sinônimo de conservação folclórica”, Literartes, vol. 1, nº 12, p. 295-308, dez. 2020.