Do que não se pode escapar: reflexões (teórico-)(literárias) para um pensamento da responsabilidade da arte

  • Gabriel Salvi Philipson Universidade de Campinas (Unicamp)
Palavras-chave: literatura e ética, arte e responsabilidade, Bakhtin e cinismo

Resumo

Neste texto, procurei pensar a relação entre arte e responsabilidade ao desenvolver o problema da responsabilidade do acontecimento tal como estruturado por Bakhtin em seu primeiro escrito, “Arte e Responsabilidade”. Meu objetivo foi testar os limites dessa relação proposta por Bakhtin, remetendo para isso a textos que pudessem servir a tal propósito, tal como a obra posterior de Bakhtin, a prosa de Bolaño e a de Bulgákov, bem como um artigo de Safatle. Ao fazer isso, sugeri que Bakhtin reivindica uma posição complexa e radical em relação a esse problema, o que me levou — entre outras coisas — a ressignificar sua obra posterior e a atitude de El Ojo Silva no conto que leva seu nome, bem como a apontar inconsistências na crítica ao cômico operada por Safatle e, por fim, ainda, a perceber a ambiguidade trágica da crítica ao poder soviético perpetrada por Bulgákov.

Biografia do Autor

Gabriel Salvi Philipson, Universidade de Campinas (Unicamp)

Possui graduação em Licenciatura em filosofia pela Universidade de São Paulo (2013), graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2012), graduação em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2012) e mestrado em Letras (Teoria Literária e Literatura Comparada) pela Universidade de São Paulo (2017). Atualmente é doutorando em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Philipson, G. (2018). Do que não se pode escapar: reflexões (teórico-)(literárias) para um pensamento da responsabilidade da arte. Magma, (14), 183-200. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2018.154413
Seção
Ensaios de Curso