A escrita empolada em O nome do bispo: representação da elite ou contradição no discurso?

  • Renata Manoni de Mello Castanho Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: romance brasileiro, representação, ponto de vista

Resumo

O presente artigo busca pensar criticamente a linguagem rebuscada do narrador de O nome do bispo (1985), romance de Zulmira Ribeiro Tavares. O encontro de Heládio — protagonista e representante de uma elite brasileira decadente — com a pobreza é ridicularizado pelo narrador no plano do enredo. No entanto, observa-se certo excesso na linguagem, que destoa da matéria tratada e pode ser pensado, nos movimentos de aproximação e distanciamento do narrador com seu protagonista e com outros personagens, em certos momentos como mimetismo de uma classe e, em outros, como discurso ornamental e, portanto, contraditório.

Biografia do Autor

Renata Manoni de Mello Castanho, Universidade de São Paulo (USP)

Possui graduação em Letras - Português pela Universidade de São Paulo (2014). É Mestranda do programa do Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da Universidade de São Paulo – USP, São Paulo

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Castanho, R. (2018). A escrita empolada em O nome do bispo: representação da elite ou contradição no discurso?. Magma, (14), 213-226. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2018.154414
Seção
Ensaios de Curso