A Simultaneidade moderna à moda da casa: uma análise de algumas propostas estéticas em A escrava que não é Isaura, de Mário de Andrade

  • Gustavo de Almeida Nogueira Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: modernimo, A ecrava que não é Isaura, Mário de Andrade

Resumo

No presente artigo pretendemos discutir algumas questões estéticas tratadas no ensaio "A escrava que não é Isaura" (1924), de Mário de Andrade. Partimos de uma análise do conceito de modernidade e de modernismo na obra de Charles Baudelaire para melhor analisarmos algumas particularidades do Modernismo Brasileiro, de modo a contextualizar a defesa do verso livre e do conceito de harmonismo e de simultaneidade no ensaio do poeta de Pauliceia desvairada.

Biografia do Autor

Gustavo de Almeida Nogueira, Universidade de São Paulo (USP)

Graduado em Letras (Português e Francês) pela Universidade de São Paulo (USP), atualmente mestrando no DTLLC (Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada) - FFLCH. Interesse em Literatura Francesa dos sécs. XIX e XX, Teoria Literária e Literatura Comparada.

Publicado
2018-12-27
Como Citar
Nogueira, G. (2018). A Simultaneidade moderna à moda da casa: uma análise de algumas propostas estéticas em A escrava que não é Isaura, de Mário de Andrade. Magma, (14), 201-212. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2018.154415
Seção
Ensaios de Curso