Caminhar e escutar — O prelúdio de William Wordsworth

Autores

  • Sofia Nestrovski Universidade de São Paulo (USP)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2018.154417

Palavras-chave:

William Wordsworth, Angus Fletcher, romantismo, natureza, sublime, indivíduo

Resumo

William Wordsworth é tido como um dos pais do Romantismo inglês — mas, como seria se pensássemos que, em consonância com o que ele escreveu, “a criança é o pai do homem”? Isto é: e se lêssemos seus poemas a partir de concepções posteriores que se têm sobre o “Romantismo”, ou até mesmo sobre concepções posteriores sobre “Wordsworth”, e as colocássemos diante de seus poemas? Para isso, este texto levanta questões sobre a natureza, o sublime e a criação individual dentro de sua poesia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sofia Nestrovski, Universidade de São Paulo (USP)

Possui graduação em Letras (2014) e é Mestranda no Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada pela mesma instituição

Downloads

Publicado

2018-12-27

Como Citar

Nestrovski, S. (2018). Caminhar e escutar — O prelúdio de William Wordsworth. Magma, (14), 227-240. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2018.154417

Edição

Seção

Ensaios de Curso