A representação da Inglaterra e da Escócia em The expedition of Humphry Clinker

Autores

  • Carla Lento Faria Universidade de São Paulo (USP)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2019.173966

Palavras-chave:

Humphry Clinker, Tobias Smollett, Romance, Inglaterra, Escócia

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a representação da Inglaterra e da Escócia no romance The expedition of Humphry Clinker (1771), do escritor escocês Tobias Smollett. Escrito em forma epistolar, o romance narra as impressões de uma família galesa acerca das cidades que visita durante uma viagem pela Grã-Bretanha. Assim, as cartas do romance permitem conhecer a Inglaterra e a Escócia do século XVIII sob uma variedade de perspectivas. Apesar da união dos parlamentos da Escócia e da Inglaterra em 1707, a ideia de “britânico” no período em que o romance foi produzido estava muito atrelada à cultura e à língua inglesas, de modo que os escoceses eram vistos como inferiores aos ingleses. Sendo assim, cabe observar como, ao contrastar cidades da Inglaterra e da Escócia, Smollett pretende subverter os preconceitos e falsas concepções direcionados aos escoceses, tão comuns nos romances produzidos na Inglaterra, unificando a ideia de escocês àquela de britânico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Lento Faria, Universidade de São Paulo (USP)

Carla Lento Faria é doutoranda do Programa de Pós-graduação em Teoria Literária e Literatura Comparada da Universidade de São Paulo. Mestre em Letras (Literatura) pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp - Guarulhos) (2016). Bacharela em Letras (Português/Inglês) pela Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP - Guarulhos) (2013). Atualmente desenvolve projeto intitulado "Lascas, pedaços e fragmentos: Between the Acts e o romance em Virginia Woolf" sob orientação da Professora Doutora Cleusa Rios Pinheiro Passos. Tem interesse principalmente nos seguintes temas: literaturas de língua inglesa, formas e gêneros literários, Virginia Woolf.

Referências

BAKHTIN, Mikhail. “Epic and novel”. In: Dialogic Imagination. Trad. de Michael Holquist. Austin: University of Texas Press, 1981.

CRAWFORD, Robert. Devolving English Literature. Edimburgo: Edinburgh University Press, 2000.

GASSMAN, Byron. “The economy of Humphry Clinker”. In: SMOLLETT, Tobias. The expedition of Humphry Clinker. Ed. de James L. Thorson. New York: W. W. Norton, 1983.

ISER, Wolfgang. “An examination of Smollett’s Humphry Clinker”. In: SMOLLETT, Tobias. The expedition of Humphry Clinker. Ed. de James L. Thorson. New York: W. W. Norton, 1983.

KNAPP, Lewis. “Smollett’s self-portrait in The expedition of Humphry Clinker”. In: SMOLLETT, Tobias. The expedition of Humphry Clinker. Ed. de James L. Thorson. New York: W. W. Norton, 1983.

KONIGSBERG, Ira. “Humphry Clinker and Parallactic Nation”. In: Narrative technique in the English novel: Defoe to Austen. Hamden, CT: Archon Books, 1985.

SCOTT, Sir Walter. “Tobias Smollett”. In: SMOLLETT, Tobias. The expedition of Humphry Clinker. Ed. de James L. Thorson. New York: W. W. Norton, 1983.

SENA, John. “Architecture in Humphry Clinker”. In: SMOLLETT, Tobias. The expedition of Humphry Clinker. Ed. de James L. Thorson. New York: W. W. Norton, 1983.

SMOLLETT, Tobias. The expedition of Humphry Clinker. Disponível em: http://www.gutenberg.org/ebooks/search/?query=humphry+clinker. Acesso em: 24 jun. 2018.

VASCONCELOS, Sandra Guardini. A formação do romance inglês. São Paulo: Aderaldo & Rothschild, 2006.

WAGONER, Mary. “On the satire in Humphry Clinker”. In: SMOLLETT, Tobias. The expedition of Humphry Clinker. Ed. de James L. Thorson. New York: W. W. Norton, 1983.

Downloads

Publicado

2019-12-27

Como Citar

Faria, C. L. (2019). A representação da Inglaterra e da Escócia em The expedition of Humphry Clinker. Magma, 26(15), 217-234. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1769.mag.2019.173966

Edição

Seção

Ensaios de Curso