The violence against Yezidi women: The Islamic State’s sexual slavery system

Autores

  • Beatriz Buarque Free Yezidi Foundation (NGO)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2016.122158

Palavras-chave:

escravidão sexual, Estado Islâmico, estupro, mulheres yazidis

Resumo

Desde agosto de 2014, milhares de mulheres e meninas Yezidi são tiradas de suas comunidades, estupradas e vendidas como mercadoria pelo autoproclamado Estado Islâmico. Esse tipo de violência já dura pelo menos dois anos, mas apenas recentemente o mundo tomou conhecimento da forma pela qual essas mulheres são tratadas pelo grupo extremista. O presente artigo se propõe a lançar luz sobre o sistema de escravidão sexual estabelecido pelo Estado Islâmico, buscando compreender porque o sistema foca principalmente na comunidade Yezidi. O artigo também tenta compreender por que governos e organizações de segurança têm falhado na extinção desse tipo de violência de gênero que tem feito milhões de vítimas ao longo dos anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Buarque, Free Yezidi Foundation (NGO)

Beatriz Buarque é jornalista formada pela UFRJ, com participação em congressos sobre a História da Midiologia. Trabalha há quase dez anos na TV Globo e atualmente é voluntária da ONG Free Yezidi Foundation.

Downloads

Publicado

2016-10-21

Como Citar

Buarque, B. (2016). The violence against Yezidi women: The Islamic State’s sexual slavery system. Malala, 4(6), 43-56. https://doi.org/10.11606/issn.2446-5240.malala.2016.122158

Edição

Seção

Artigos